10/08/2022

Com retomada da economia, seguro para eventos ganha força entre produtores

Segundo a Associação Brasileira de Marketing Promocional, os custos para a contratação da apólice geralmente giram em torno de 1% do valor total do evento
eventos

Seguros para automóveis, de saúde, de viagens e até mesmo de vida já são conhecidos pelo público, mas poucas pessoas sabem da existência do serviço para eventos. Com a retomada da economia, esta modalidade ganhou, novamente, força entre os produtores. Meline Sousa, especialista em seguros da GFT Credmais explica que, diferente de outras, esta contratação é feita em partes.

“Diferente de um seguro auto, por exemplo, que cobre quase 100% do produto, o de eventos é contratado em partes. Seja qual for o evento, há muitas variáveis nele – montagem, artistas, público, equipamentos, fornecedores, etc. Esse seguro vai contemplar as partes existentes no evento”, afirma Meline.

Segundo a Associação Brasileira de Marketing Promocional (Ampro), os custos para a contratação da apólice geralmente giram em torno de 1% do valor total do evento. Dentre as coberturas que seguradoras oferecem, se destacam perdas e danos no espaço físico, equipamentos eletrônicos ou utensílios do evento; danos materiais e corporais a terceiros (funcionários ou público); não comparecimento de artista; subtração de valor de bilheteria; danos ou furtos de veículos estacionados no local do evento; desabamento ou queda de estrutura; incêndio ou explosão, e até morte acidental de presentes.

De acordo com a Associação Brasileira de Promotores de Eventos (Abrape), o setor de eventos soma 4,5% do Pib Brasileiro, empregando 6,4 milhões de pessoas e pagando mais de R$ 70 bilhões em salários anualmente. Para Meline, “a pandemia não prejudicou somente as empresas que promovem festas, mas toda uma cadeia econômica baseada em eventos, incluindo as seguradoras”, afirma.

Meline ainda lembra que há um Projeto de Lei em tramitação na Câmara dos Deputados, tornando obrigatório que eventos tenham um seguro contratado, o PL 1/2015. “É essencial para a segurança de todos. Muitas pessoas sofrem acidentes, danos, furtos, as empresas têm seu patrimônio lesado, culminando em processos longos e onerosos. Com um seguro, as situações são resolvidas rapidamente, da melhor forma para todas as partes”, finaliza.

N.F.
Revista Apólice