05/07/2022

Insurtech Brasil 2022: Open Insurance é a chave para transformação do mercado

Insurtech Brasil promove debate sobre a importância do Open Insurance e destaca seus benefícios para empresas e consumidores
Raquel Gaudêncio, Rodrigo Ventura e Gustavo Leança, Insurtech Brasil

EXCLUSIVO – Maior fluxo de informações, cliente no centro da operação e mais inovação no mercado de seguros. Esses são os principais objetivos do Open Insurance, que ainda está em fase de implementação no Brasil. No Insurtech Brasil, que acontece hoje em São Paulo, especialistas do segmento participaram do painél “Open Insurance como ponto de partida para a inovação em seguros”. Rodrigo Ventura, CEO e fundador da 88i Seguradora; e Raquel Gaudêncio, superintendente executiva de Estratégia, Governança, Inteligência de Mercado, Sustentabilidade e Inovação da Brasilseg, falaram sobre a importância do movimento para a transformação do setor. A moderação do debate foi feita por Gustavo Leança, head de Soluções para Seguros da Capgemini.

Recentemente, a Capgemini realizou o estudo “Desafios, Realidade e Estratégias”, no qual 80,3% dos entrevistados acreditam que o Open Insurance trará mudanças para o mercado brasileiro de seguros no longo prazo, sendo os efeitos sentidos mais em 2024. “Novos produtos serão criados e a distribuição será mais diversificada, o que pode facilitar ainda mais a operação das seguradoras e insurtechs”, disse Leança.

De acordo com Raquel, todos os setores estão em transformação, pois o cliente está mais exigente e mais conectado, o que obriga os processos a serem mais ágeis e eficientes, além de oferecer um maior poder de escolha ao consumidor. “O Open Insurance traz um movimento de padronização para que os clientes possam comparar o que está disponível no mercado, e a partir dessa comparação entre produtos as empresas conseguem demonstrar a proposta de valor para o segurado”.

Para Ventura, o que vai diferenciar as seguradoras, e também as insurtechs, é a qualidade e eficiência do atendimento. Segundo o executivo, a parceria entre empresas é o que vai possibilitar que uma maior camada da população tenha acesso ao seguro. “Os principais clientes beneficiados pelo Open Insurance seriam as Pessoas Físicas e as PME’s, que atualmente possuem menor poder de barganha entre as seguradoras. A inclusão da população no nosso segmento passa necessiariamente pela experiência e pela precificação”.

Raquel ainda ressaltou sobre a importância das companhias do setor de seguros se unirem para investir em educação financeira. “Uma proposição de valor clara é extremamente importante para o setor, e isso só é possível através da tecnologia oferecida pelo Open Insurance. Quanto mais a gente trouxer a percepção da importância do seguro, mais vamos expandir a penetração do mercado no Brasil.

Ventura abordou também a importância dessa tecnologia para oferecer seguros embargados a serviços/produtos que fazem parte do dia a dia do consumidor, como, por exemplo, deliverys, e-commerce e até mesmo o celular. “A possibilidade de troca de inteligência entre seguradoras e outros players do mercado também ajuda na mitigação de riscos. Esse ambiente Open melhora a qualidade da informação para todas as pontas, o que torna esse movimento extremamente importante para o futuro do setor”.

Veja o vídeo dos bastidores do evento:

Nicole Fraga
Revista Apólice