28/06/2022

Austral investe em novo espaço em São Paulo e na digitalização do seguro

A diretoria da empresa recebeu a imprensa para falar sobre o novo escritório e a sua visão sobre o momento do mercado de seguros
austral

EXCLUSIVO – Na tarde de ontem, 22 de junho, a Austral recebeu a imprensa especializada em seguros em seu novo escritório em São Paulo. A diretoria da empresa conversou com os jornalistas durante um coffe break, no qual falaram um pouco sobre o novo espaço e como a companhia enxerga o momento do setor.

Participaram da conversa Carlos Frederico Ferreira, CEO da seguradora; Rafael Gama, diretor comercial; e Claudia Novello Ribeiro, diretora Técnica. De acordo com Ferreira, após atuarem totalmente em home office durante a companhia, os funcionários estão trabalhando em sistema híbrido. “Expandimos o time aqui de São Paulo, por isso investimos nessa nova sede. Além disso, no mercado de seguros, o contato presencial é fundamental para a troca de ideias”.

Atualmente, a companhia trabalha com seguros corporativos e está entre as cinco maiores empresas de seguro garantia. O executivo afirmou que o mercado corporativo passou por muitas transformações nos últimos anos, o que acaba influenciando diretamente na apólice de seguro. “O produto garantia judicial é a tábua de salvação do seguro garantia. Nosso perfil de cliente é outro, e ele acaba demonstrando uma maior necessidade de um produto digital. Por isso criamos em um contrato 100% online, no qual o segurado pode acessar os termos em coberturas a qualquer momento e de qualquer dispositivo”.

Para Ferreira, o seguro D&O foi impactado por dois fenômenos aqui no Brasil: a quantidade de empresas que migraram para a Bolsa de Valores e abriram o capital; e a forma de empreender e entender o negócio. Ele ainda disse para o seguro E&O crescer no país é necessário trabalhar a conscientização sobre a importância do produto entre executivos. “Esse seguro é extremamente necessário, pois a pessoa acaba tendo sua vida exposta no trabalho. Entretanto, ainda falta uma maior capacitação para entender como essa proteção funciona”.

Sobre o Open Insurance, Claudia disse que a Austral está participando de todas as frentes para debater o tema. Entretanto, a executiva afirmou que no nicho de negócio em que a companhia atua ainda não há tanta clareza do que está por vir. “Fica muito mais claro o compartilhamento de informações nos produtos massificados, onde há de fato um benefício para o segurado. Só que as informações compartilhadas nesse modelo não fazem tanto sentido para os seguros de grandes riscos. Ainda estamos aguardo os movimentos do mercado”.

Questionado sobre como a seguradora está seguindo os critérios ASG, Gama disse que a Austral adotou políticas rígidas em relação a essa questão. “Temos alguns setores responsáveis por cuidar desses critérios, tanto na parte de subscrição, onde é feita uma análise dos clientes para analisar se eles estão alinhados com essa pauta, quanto dentro da própria organização. Trabalhamos com base na meritocracia. Aqui avaliamos de fato a performace do funcionário, independente de raça, idade, gênero e orientação sexual. Mas atualmente isso não basta, precisamos provocar dentro da empresa um movimento em que você invista na evolução dos colaboradores. Participamos de alguns comitês, como a Sou Segura, para estarmos antenados com o assunto”.

Nicole Fraga
Revista Apólice