13/08/2022

Pipo lança programa focado em benefícios de saúde para startups

Objetivo da healthtech é sanar as dores de diferentes startups com relação aos benefícios de saúde oferecidos aos seus colaboradores
healthtechs

Com o intuito de sanar as dores de diferentes startups com relação aos benefícios de saúde oferecidos aos seus colaboradores, a Pipo Saúde lançou o programa Pipo para Startups, que une todo o conhecimento da empresa no mercado a um portfólio de parceiros para oferecer um pacote de benefícios completo e pensado especialmente para as startups.

Por fazer parte do ecossistema de startups e possuir uma conexão com os diferentes modelos de empresas em ascensão, a organização consegue ter um entendimento profundo sobre as reais dores deste mercado, atuando como uma consultora de saúde para os clientes, independentemente de em qual estágio de crescimento eles se encontrem. Atualmente a companhia conta com mais de 100 empresas em seu portfólio, dentre elas algumas startups e grandes unicórnios, tais como: MadeiraMadeira, Buser, Pier, Facily, Daki, entre outras.

Graças a este profundo entendimento do cenário de startups, a Pipo é capaz de utilizar dados estratégicos na oferta dos melhores benefícios para cada decisão de seus clientes. “Nós nascemos como uma startup e entendemos perfeitamente que em muitos casos, esse formato de organização possui certa dificuldade para encontrar e gerenciar os melhores pacotes de benefícios para os seus colaboradores. Como uma healthtech, também entendemos que a oferta de vantagens contratuais, sobretudo as relacionadas à saúde, pode fazer toda a diferença na hora de uma pessoa optar por seu futuro ambiente de trabalho. Para ajudar as startups nessa missão, lançamos o Pipo para Startups”, afirma Manoela Mitchell, CEO e Cofundadora da empresa.

Com o programa, a Pipo oferece para as startups um sistema integrado que possibilita a redução do tempo gasto com processos técnicos, a automação do trabalho e a diminuição das burocracias, além de auxiliar os clientes com questões como: complexidade para encontrar e gerir as vantagens contratuais de forma autônoma, dificuldades geradas pela alta demanda operacional no time de Recursos Humanos, falta de tempo para entender as particularidades de um suporte saudável e incertezas sobre como manter um pacote de benefícios realmente competitivo no mercado.

As informações completas sobre o projeto estão disponíveis no link.

N.F.
Revista Apólice