19/05/2022

Novos riscos surgem ao caírem as máscaras

Anseio pela volta do normal e fim da pandemia traz impactos que devem ser analisados pelo mercado de seguros
máscaras

Após o avanço da vacinação e uma redução acentuada no índice de mortes por Covid-19 no Brasil, as autoridades públicas decretaram liberação do uso de máscaras, em cenário de fim da pandemia. O simbolismo da ausência das máscaras faz com que as pessoas se esqueçam dos riscos que ainda existem e voltem à vida normal. Vemos a ansiedade das pessoas em fazer tudo que não feito durante a pandemia, e isso impulsiona as vendas e os negócios. Com antigos e novos riscos!

Robert Hufnagel

A extensão de impactos provocada por este histórico acontecimento da Covid-19 evidenciou a importância de preparar-se para eventos que tenham potencial para causar prejuízos similares. No setor de seguros, tornou-se cada vez mais determinante que o gerenciamento de riscos seja minunciosamente realizado para identificar e tratar as ameaças que possam desestabilizar a economia, garantindo assim a sustentabilidade financeira dos envolvidos.

O mercado segurador naturalmente já vem sendo cada vez mais cauteloso, com análises mais sensíveis em suas subscrições, para a análise necessária dos novos riscos e suas consequências ainda desconhecidas. Os especialistas possuem meios para atuar de forma muito efetiva na prevenção aos novos problemas, não só pelo poder de subscrição e seleção, mas também por influenciar a gestão de riscos de nossos clientes.

O aumento dos encontros presenciais, reuniões e festas, somado à queda no uso de máscaras, amplia as chances de contaminação no caso da presença de um indivíduo infectado. O mercado de seguros, que é especialista em análise e gerenciamento de riscos, precisa estudar e atuar de perto nessas questões, não apenas em relação ao seguro saúde, mas em acometimentos em diversas esferas, como no seguro de Responsabilidade Civil de profissionais. Todos queremos a retomada da vida normal e do crescimento da economia, mas os passos devem ser planejados para não retrocedermos. Novos produtos serão apresentados assim que amadurecerem as relações da sociedade com estes novos riscos.

Aliás, outro seguro que já começa a avançar é o de RC médico, com a corrida das pessoas pela perfeição estética. Para se ter ideia da relevância do assunto, o “efeito zoom” causado pela pandemia, quando as pessoas passaram a ficar mais tempo em frente às câmeras, desencadeou um aumento de 40% na procura por procedimentos estéticos. Agora, após o longo período de isolamento social por conta da pandemia, a vida começa a voltar ao normal e a procura por bem-estar e autocuidado cresce cada vez mais.

Temos número crescente de lives com foco no bem-estar e estética, e aumento de procedimentos harmonizáveis e plásticas, ao caírem as máscaras. De acordo com o Dr. Luiz Haroldo Pereira, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), com a flexibilização da pandemia e a chegada do verão houve um aumento de 60% a 70% nas buscas por tratamentos de contorno corporal nos últimos meses.

A pandemia provocou impactos na rotina das pessoas, que passaram a deixar alguns cuidados com o corpo e com a mente de lado, mas agora isso tende a mudar. O mercado de seguros, acompanhando os movimentos da sociedade, tem novos riscos a serem observados.

* Por Robert Hufnagel, consultor da Casualty Assessoria e Consultoria de Seguros e associado da Alper