14/08/2022

ENS liga talentos ao mercado de seguros

Instituição completa 50 anos e tem projetos de cultura do seguro em andamento, como o Guru do Seguro, uma enciclopédia em constante atualização por IA e machine learning
ens
Lucas Vergílio

EXCLUSIVO – Aos 50 anos de atuação no mercado de seguros, a ENS – Escola de Negócios e Seguros ainda quer surpreender positivamente o mercado de seguros. A missão institucional da entidade é levar conhecimento para seguradoras, corretores de seguros e para a sociedade.

“No ano de 2021, cerca de 29 mil alunos passaram pelos cursos da escola, ao longo de todo o território nacional, alcançando cerca de 2609 municípios no Brasil. Isso mostra a capacidade de entrega de todo o corpo da Escola de Negócios e Seguros”, afirmou Tarcisio Godoy, diretor executivo da entidade.

O conceito de “mercado centrismo” coloca a escola como um agente para atender o mercado como um todo. “Há produtos para seguradoras, para corretores, mas também para toda a sociedade, com o objetivo de atendê-las como um todo”, reforçou Godoy, acrescentando que ela busca soluções de acordo com as necessidades e demandas do mercado.

O executivo destacou alguns projetos da Escola, como o PIP (Programa de Identificação de Profissionais), que mostra a ENS como um elo entre o que busca os seguradores e o mercado, para oferecer profissionais qualificados. “A ideia é que a escola junte o que o aluno deseja (empregabilidade) e o que o mercado necessita. A adesão ao programa de ENS proporciona agilidade e custos reduzidos para contratação de profissionais bem capacitados”, completa Godoy.

Godoy destacou também o Guru de Seguro, um projeto de acesso a informações de seguros via Alexa, da Amazon, com objetivo de criar uma enciclopédia de seguros e facilitar o acesso às informações . A tecnologia é da Sistran e a curadoria é da ENS. Caso a Alexa não tenha a resposta em seu banco de dados, ela é enviada em até 48 horas. 

Lucas Vergilio, deputado Federal e presidente da ENS, comentou os acordos da Escola e a sua capacidade de trazer convênios diferenciados para promover a cultura do setor, como os cursos em parceria com a Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego) para promoção de direção defensiva, com redução de risco e conhecimento sobre o seguro automóvel. “Vamos inserir também a questão do que é legal e regulamentado para o consumidor. Temos que atingir aqueles que estão fora do mercado para despertar o interesse pelo conhecimento e consumo de seguros”, disse o deputado.

A ENS busca novas soluções acadêmicas para atrair estudantes de diversos locais. Um exemplo foi uma série de videoconferências gratuitas para apresentar o mercado de insurtechs israelenses aos brasileiros, como maneira de incrementar o conhecimento sobre tecnologia.

De qualquer forma, os diretores da Escola ressaltaram que a concorrência é sempre muito bem-vinda. “O principal diferencial da Escola hoje é a confiança do setor, o quadro de professores e os alunos que já passaram por aqui, além dos índices que ratificam a qualidade do ensino, como os cursos que possuem nota máxima no MEC”, pontuou Vergilio.

A diretor de ensino da Escola, Maria Helena Monteiro ressaltou a importância de ter os melhores profissionais transmitindo seu conhecimento aos alunos, e citou seu próprio exemplo: “Estou aqui há 10 anos devolvendo ao mercado tudo o que aprendi em minha carreira como executiva. É importante termos uma entidade que promova discussões relevantes para o setor, como o etarismo. A diversidade deve ser sempre estimulada”.

Kelly Lubiato
Revista Apólice