11/08/2022

Um novo mercado para o seguro automóvel

jeep

Necessidade intrínseca ao ser humano, a busca por um seguro tem aumentado entre a população. E a entrada de novas regulamentações que visam aprimorar e fomentar o desenvolvimento do segmento traz um cenário ainda mais positivo para o mercado.

No caso do setor automotivo, a Susep (Superintendência de Seguros Privados) publicou novas normas que permitem a flexibilização no momento da contratação do seguro, com objetivo de promover a ampliação do acesso à população à proteção e a simplificação das apólices. Na prática, a novidade oferece maior liberdade para formatação de produtos e permite a elaboração de contratos mais simples e de fácil entendimento para os consumidores.

Saint’Clair Lima

No dia a dia, ao mesmo tempo em que as seguradoras passarão a ter maior liberdade para criar produtos, os consumidores serão beneficiados com uma gama maior de coberturas, proteção pay per use, combos com serviços e assistências diferenciadas em uma única apólice, entre outras possibilidades.

Neste novo ciclo de desenvolvimento, é importante o consumidor entender claramente as diferenças entre os vários tipos de seguros que passarão a ser oferecidos pelas seguradoras, que terão a possibilidade de ofertar recursos variados com o suporte de inúmeros dispositivos tecnológicos, internet das coisas (IOT) e simplificação dos processos. Diante desse quadro, cada consumidor precisa escolher, de forma ainda mais consciente, a melhor opção de contratação às suas necessidades. É uma evolução do mercado para atender um novo consumidor, mais exigente e diversificado.

A norma atende às novas demandas de consumo do seguro automotivo e essas mudanças também contribuem para aperfeiçoar a relação entre clientes e corretores. A indústria de seguros vive um momento de grandes oportunidades. Produtos e serviços mais customizados são imprescindíveis, com foco em maximizar a experiência do consumidor. No caso das seguradoras, a forma de vender seguro passa por uma transformação para acompanhar o ritmo das mudanças. O processo de venda torna-se uma verdadeira consultoria de risco para o cliente, ao invés de uma simples oferta de produto de prateleira.

No papel de consultor, o corretor analisa o perfil e as necessidades de cada pessoa ou empresa, levando em consideração macro e micro singularidades. É preciso ter sensibilidade e visão holística sobre o que é essencial para cada cliente e essa nova norma permite ampliar o olhar e as possibilidades segmentadas.

Em paralelo, empresas investem na integração de informações e otimização e/ou na criação de canais de relacionamento com cliente, com uso de inteligência artificial, chats em tempo real, URAs (sistemas de atendimento) com autosserviços, chatbots, redes sociais, aplicativos de mensagem, sem abrir mão de ferramentas tradicionais, como e-mails, telefones e sites. Nesse cenário de múltiplas opções de contato, o principal continua sendo a qualidade da prestação do serviço e o atendimento próximo e humanizado.

Diante dessa grande oportunidade de modernização e simplificação do regime de produtos, desenvolvimento do setor e melhoria da experiência do segurado na contratação de seguros, as empresas buscam transformar clientes em fãs, a partir do encantamento com os serviços prestados. Criatividade, simplicidade e qualidade serão diferenciais cada vez mais sentidos no mercado de seguro auto.

* Por Saint’Clair Lima, diretor da Bradesco Auto/RE