tokio

De acordo com o Banco Central, o PIX já é o modelo de pagamento eletrônico mais utilizado no Brasil, à frente de instrumentos tradicionais como TED e DOC: apenas 5 meses após lançado, superou 1 bilhão de operações e segue líder na preferência dos usuários. Ciente disso, e visando oferecer mais um meio que propicie comodidade e agilidade aos seus clientes, a Zurich passou a disponibilizar essa modalidade como meio de pagamento para o seu seguro de vida individual.

“A seguradora tem foco no cliente. Por isso, oferecer aos seus segurados do produto ‘vida individual’ a possibilidade de utilizar o PIX no pagamento dos prêmios (que é o nome que se dá para o valor que eles pagam para a contratação dos seguros, seja no montante total ou em parcelas) é uma iniciativa natural, justamente por conta dessa política”, comenta o diretor executivo de Finanças da empresa, Sven Feistel. Ele ressalta ainda que esse avanço permitirá que os corretores parceiros também sejam beneficiados em breve, já que poderão receber a comissão com mais agilidade para esta forma de pagamento.

“Agora, com a implantação de cobrança no seguro de vida por esse método, passamos a disponibilizar mais uma opção para os clientes, que escolhem se desejam pagar o seu seguro por meio de boleto bancário, cartão de crédito, débito automático ou via PIX, que é feito por meio do recebimento mensal de um QR Code, tudo com o objetivo de oferecer conveniência aos nossos segurados”, conta o executivo.

Telegram para post

A empresa também está iniciando o uso do PIX para realização de pagamentos, seja para a comissão dos corretores parceiros, restituição de prêmio, devoluções e indenizações de sinistros (nome que se dá ao evento que é coberto na apólice de seguros), sendo que a modalidade está sendo cada vez mais aprimorada operacionalmente dentro da companhia.

Além dos aspectos de flexibilidade, comodidade, agilidade, menos burocracia e inovação, já que o PIX é um dos meios mais contemporâneos para transferência de valores no setor financeiro do país, o uso da ferramenta também foca na segurança. Isto porque a única chave de endereçamento utilizada pela Zurich nas transações feitas via PIX é o CPF ou o CNPJ do cliente. “Os nossos segurados estão no centro de tudo o que fazemos, bem como a sua segurança. Analisamos o processo e opções e chegamos a um formato em que não há risco de a companhia direcionar o pagamento para alguém diferente do beneficiário”, conclui Feistel.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta