seguro

Um levantamento da Datastore apontou que, atualmente, o índice de intenção de compra nos segmentos popular, médio padrão e alto luxo em todo o país chega a 29%, ou seja, mais de 14,5 milhões de famílias têm intenção de adquirir um imóvel nos próximos 24 meses. Com a crescente adesão ao home office, o segmento de seguro residencial também registrou crescimento e ganhou ainda mais relevância no último ano.

O setor já vinha em trajetória ascendente, com uma média anual de elevação de 8% entre 2016 e 2019, enquanto o mercado de seguros de automóveis, por exemplo, cresceu 3.4% anualmente. Por outro lado, de acordo com a Fenseg, estima-se que apenas 15,8% das residências do Brasil possuem seguro residencial. Isso reforça a oportunidade de crescimento do segmento.

Em média, os seguros residenciais têm um preço acessível, podendo custar menos de um real por dia. Isso prova que o investimento neste tipo de seguro é muito mais baixo em comparação ao valor gasto no caso de imprevistos, como um sinistro nas casas. Além disso, o consumidor conta com diversos serviços de assistência 24h, tendo disponível mão de obra especializada e maior tranquilidade.

Telegram para post

Para os corretores, o produto é uma oportunidade de cross sell, principalmente para aqueles que já trabalham com seguro auto, por exemplo. Atualmente, a Liberty Seguros oferece o Liberty Residência, desenvolvido para proteger o patrimônio de proprietários ou inquilinos de residências do dia a dia, bem como de veraneio, como casas ou apartamentos de praia e campo.

O produto oferece uma ampla gama de coberturas, além de diversos serviços complementares. Além disso, o seguro é um produto digital, com aviso de sinistro disponível online no Meu Espaço Cliente, e para corretores no Meu Espaço Corretor, ambos dentro do site da seguradora. Ainda, em breve, a empresa irá lançar novidades como a regulação por vídeo vistoria, para agilizar o processo de indenização e recursos exclusivos na Alexa, a assistente virtual da Amazon.

“Com a pandemia e a adoção do home office, as pessoas têm passado mais tempo em casa, e tiveram de adaptar suas rotinas para tornar o ambiente melhor equipado e, claro, mais seguro, o que contribuiu para o crescimento da procura por produtos do nicho residencial”, afirma o superintendente de riscos patrimoniais da Liberty Seguros, Rodrigo Catanzaro. “Acreditamos que esse segmento ainda pode crescer muito, por isso, trabalhamos para oferecer opções cada vez mais completas para os consumidores e apoiar nossos parceiros, aproveitando o momento para ampliar seus negócios”, completa.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta