diversidade

ESPECIAL DIA DO CORRETOR – A última edição do Relatório de Sustentabilidade do Setor de Seguros, produzido pela CNseg (Confederação Nacional das Seguradoras), apontou que 90,5% das empresas participantes do levantamento adotam práticas de promoção da diversidade e não discriminação. Esse movimento visa agrupar, em um quadro de colaboradores, pessoas que sofrem algum tipo de rejeição em razão da sua classe social, gênero, raça, deficiência, religião e outras questões que acabam tornando-as vítimas do preconceito e da intolerância.

Entidades como a Sou Segura (Associação das Mulheres do Mercado de Seguros) desenvolvem campanhas para conscientizar sobre a necessidade de uma maior pluralidade nas organizações do setor. “Mesmo sendo relevantes, esses percentuais apontam apenas uma situação global. Há avanços importantes na diversidade e no combate à discriminação, essas conquistas ainda não atingiram o estágio que gostaríamos e que seria mais do que justo nos cargos de direção ou liderança nas empresas. Aliás, esse é um dos principais focos de atuação da associação”, diz Simone Vizani, presidente da organização.

Uma companhia que adotou ações de inclusão é a Aon. No Brasil, a corretora formulou quatro grupos focados em desenvolvimento profissional, recrutamento, engajamento e retenção dos colaboradores. São eles: Business Professional Network (Diversidade Racial); PRIDE Alliance (LGBTQIA+); Empowering Abilities (Pessoas com deficiências); e o WIN (Diversidade de gênero). Andrea Milan dos Santos, diretora Executiva de Recursos Humanos da consultoria, afirma que um dos benefícios da empresa investir nessas iniciativas foi a abertura propicia a um olhar mais cuidadoso aos clientes, ampliando a criatividade e a inovação. “Estar em contato com pessoas e culturas diferentes nos faz desenvolver habilidades diferentes e nossos colegas se tornam, ainda mais, empáticos, flexíveis, colaborativos”.

Telegram para post

O Relatório da CNseg constatou também que 68,4% das seguradoras monitoram os indicadores de diversidade do quadro de funcionários. Na Aon o monitoramento dos funcionários é feito a cada trimestre e é dividido por gênero, tipo de posição, raça e geração. De acordo com Andrea, o sentimento de respeito, inclusão e valorização gera também engajamento, impactando na produtividade, qualidade do serviço e, consequentemente, no aperfeiçoamento do atendimento ao cliente. “Como uma consultoria de riscos, saúde e bem-estar, atuamos cuidando de pessoas e dos seus bens e a diversidade é fundamental para seguir inovando”.

Simone acredita que o mercado de seguros esteja perto de um consenso de que a diversidade traz muitos benefícios para as empresas, por resultar em diferentes formas de pensar, o que traz criatividade e produtividade em processos de inovação das companhias. “A diversidade ajuda a empresa identificar e, em um segundo momento, reter talentos, transformando o ambiente corporativo em uma grande incubadora de profissionais extremamente capacitados, inovadores e que têm uma visão apurada sobre o mundo moderno. Ela cria um ambiente mais produtivo, eficiente e eficaz nas soluções que propõem”.

Nicole Fraga
Revista Apólice

Deixe uma resposta