A Susep (Superintendência de Seguros Privados) divulgou hoje, 02 de agosto, a Síntese Mensal dos principais dados relativos ao desempenho do setor de seguros até junho de 2021. As informações foram obtidas a partir dos dados encaminhados pelas companhias supervisionadas. O documento é atualizado de acordo com o envio pelas empresas, podendo haver ajustes em função de recargas do Formulário de Informações Periódicas (FIP).

As receitas dos segmentos supervisionados pela entidade totalizaram R$ 145,04 bilhões no primeiro semestre de 2021, aumento de 19,4% em relação ao mesmo período de 2020, quando as receitas totalizaram R$ 121,43 bilhões. Somente em junho de 2021, o setor arrecadou R$ 27,64 bilhões, o que corresponde a um crescimento de 18,3% em relação a junho de 2020.

Os seguros de danos apresentaram crescimento de 14,9% na arrecadação de prêmios no acumulado de 2021, quando comparado com 2020. Foram movimentados R$ 42,20 bilhões nos seis primeiros meses de 2021, face aos R$ 36,71 bilhões do mesmo período em 2020.

Os seguros de pessoas foram responsáveis pela arrecadação de R$ 85,16 bilhões este ano, o que representa alta de 25,5%, ou R$ 17,33 bilhões, em relação ao primeiro semestre de 2020.

Nos seguros de pessoas e danos, os prêmios diretos totalizaram R$ 127,36 bilhões no acumulado de 2021, alta de 21,8% em relação ao mesmo período de 2020, quando totalizaram R$ 104,55 bilhões.

O segmento de seguros de pessoas apresentou um total de prêmios de R$ 85,16 bilhões em 2021, o que representa aumento de 25,5% em relação aos seis primeiros meses de 2020. O seguro de vida teve crescimento de 19,1% em relação ao primeiro semestre de 2020, correspondendo a um aumento de R$ 1,75 bilhão na arrecadação de prêmios.

Os seguros de danos apresentaram crescimento de 14,9% na arrecadação de prêmios em 2021, quando comparado ao mesmo período de 2020. Foram movimentados R$ 42,20 bilhões nos seis primeiros meses de 2021, face aos R$ 36,71 bilhões do mesmo período em 2020.

A arrecadação de prêmios no seguro auto atingiu R$ 17,43 bilhões no acumulado do ano, valor 6,8% superior ao do mesmo período em 2020. Na comparação entre junho de 2021 e junho de 2020, houve crescimento de 11,3%, com uma arrecadação de prêmios de R$ 3,15 bilhões.

Desconsiderando-se auto, o desempenho das demais linhas de negócio dos seguros de danos foi 21,4% superior no acumulado de 2021 em relação a 2020, crescimento de R$ 4,37 bilhões na arrecadação de prêmios. As linhas de negócio rural, responsabilidade civil (RC), patrimonial e transporte foram destaques, com crescimento acima de 30%. Os seguros das linhas garantia estendida e financeiros também se destacaram, com crescimento acima de 20% na arrecadação de prêmios em 2021.Telegram para postVGBL: As contribuições do VGBL em 2021 superaram as do primeiro semestre de 2020 em 29,7%, totalizando R$ 60,90 bilhões. As contribuições de junho de 2021 superaram as de junho de 2020 em 20,4%. Já os resgates apresentaram aumento de 26,1% em relação ao acumulado de 2020 até junho, totalizando R$ 43,67 bilhões. Nos seis primeiros meses de 2021, as contribuições superaram os resgates em R$ 17,23 bilhões.

 

Rural, RC, Patrimonial e Transporte:  As linhas de negócio rural, responsabilidade civil (RC), patrimonial e transporte foram destaques, com crescimento nominal acima de 30%. Os prêmios acumulados em 2021 para o seguro rural atingiram o montante de R$ 4,08 bilhões, crescimento de 37,9% em relação a 2020. Os seguros de responsabilidade civil, patrimonial e transporte acumularam, no mesmo período, prêmios de R$ 1,59 bilhão, R$ 2,43 bilhões e R$ 2,18 bilhões, respectivamente, correspondendo a crescimentos de 37,4%, 33,9% e 33,5%.

Sinistralidade: Nos seguros de pessoas, excluindo-se o VGBL, a sinistralidade saiu de um patamar de 30% no início do ano passado, passando para uma média de 37% no segundo semestre de 2020 e atingindo o patamar de 51,3% de média no acumulado de 2021, com pico de 61,4% em maio. Em junho de 2021, observa-se uma queda para o valor de 57,2%.

A sinistralidade do seguro de vida, individual e em grupo, atingiu o valor de 88,97% em junho deste ano, abaixo do valor observado em maio, quando foi de 96,9%. O seguro de vida em grupo contribuiu
com a queda na sinistralidade, atingindo o valor de 94,1% em junho de 2021, abaixo do valor de 103,1% observado em maio.

Nos seguros de danos, observou-se que a sinistralidade em junho de 2021 apresentou queda em relação à sinistralidade de maio de 2021, totalizando 40,9%, próxima do mínimo observado desde janeiro de 2020, 39,4%.

A sinistralidade no seguro auto ficou em 59,8% em junho de 2021, frente aos 54,2% observados em maio de 2021 e 48,6% em junho de 2020. No acumulado do ano, a sinistralidade desta linha de negócio está em 57,0%.

Nos produtos de previdência, observou-se crescimento nominal de 2,0% na receita nos primeiros seis meses de 2021, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

PGBL: O PGBL apresentou, no primeiro semestre de 2021, crescimento nominal de 2,9% nas receitas em relação ao mesmo período de 2020, tendo arrecadado R$ 4,56 bilhões no período. Os resgates no acumulado de 2021 cresceram 9,0% em relação ao mesmo período de 2020, totalizando R$ 5,12 bilhões.

Previdência Tradicional: Observou-se, nas receitas dos seis primeiros meses de 2021, em comparação com o mesmo período de 2020, queda nominal de 0,4% nas contribuições de Previdência
Tradicional.Os resgates, por sua vez, cresceram, totalizando R$ 0,94 bilhões em 2021, 7,1% acima do valor do primeiro semestre de 2020.

A publicação na íntegra está disponível no link.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta