seguro

A pandemia segue como principal motivo para que os brasileiros adquiram seguro de vida. A procura por este tipo de seguro, até maio, cresceu 23,6% em decorrência da Covid-19, comparado com o mesmo período do ano passado. De acordo com a CNseg (Confederação Nacional das Seguradoras), a procura por esta modalidade aumentou 21,7% no Rio de Janeiro e 35% no Espírito Santo.

A pandemia mudou a percepção da importância do seguro. Agora, em momento de crise, as pessoas dão mais valor ao ditado “É melhor prevenir do que remediar” afirma Antonio Carlos Costa, presidente do Sindseg RJ/ES (Sindicato das Seguradoras do Rio de Janeiro e do Espírito Santo).

Telegram para post

A jornalista Bruna Coutinho optou pelo seguro de vida para se planejar financeiramente e ter segurança em situações que fogem ao controle. “Eu sempre quis ter um seguro de vida, mas eu achava que era muito caro, e nunca tive interesse. Em 2020, eu fiquei desempregada e vi a importância de ter um seguro caso aconteça alguma coisa. E fui pesquisar. Com a ajuda de um corretor eu consegui um seguro que me atenda na morte e em vida, em situações que fogem ao nosso controle, como doenças e desemprego, por exemplo” conta, Bruna.

Seguro de vida e educação financeira

É uma ferramenta de planejamento financeiro e gerenciamento de risco em casos de imprevistos, tanto no presente quanto no futuro. O segurado pode optar por uma cobertura mais abrangente com relação à saúde, por meio de garantias de doenças, acidentes ou mesmo invalidez. Vale frisar que esta modalidade é para quem deseja proteger seu padrão de vida e o que já foi conquistado ao longo dos anos.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta