hdi

O planejamento financeiro e a formação de reservas de emergência nem sempre são procedimentos adotados por uma expressiva parcela da população, o que demonstra que a estratégia dos brasileiros ainda está mais focada nas conquistas mais imediatas do que no gerenciamento do risco no curto, médio e longo prazos. Contudo, com a chegada da pandemia, uma parte da sociedade passou a revisitar essa estratégia, com o intuito de avaliar o nível de proteção e segurança de que dispõe hoje e como pode atuar para melhorá-lo. Nesse cenário, Bernardo Castello, diretor da Bradesco Vida e Previdência, aponta cinco pilares que podem fazer do seguro de vida um equilíbrio financeiro e patrimonial.

(FOTO: Julio Bittencourt) Bernado Castello

“O produto proporciona amparo diante de imprevistos como perdas inesperadas e afastamento temporário do trabalho, além de proteção de reservas e investimentos, garantindo a manutenção do padrão de vida e do bem-estar. É um recurso que garante um horizonte de segurança para as famílias”, afirma Castello.

Confira a seguir os cinco pilares.

1 – Estabilidade: O seguro de vida é uma forma de manter as condições financeiras em dia, caso você não consiga arcar com as contas pessoais no surgimento de imprevistos, por motivos de doenças, desemprego ou incapacidade temporária. Apenas como exemplo, em uma simulação bem simples do que seria um seguro-desemprego privado, a partir de R$ 26 reais, por mês, um jovem de 25 anos tem a opção de receber três parcelas de R$ 2 mil reais para manter a renda em um momento de instabilidade financeira.

Telegram para post

2 – Tranquilidade: O seguro proporciona tranquilidade financeira nas mais diferentes situações, seja para quem já alcançou uma condição de independência, com os filhos criados, seja para quem ainda depende de renda para prover o sustento da família. Com as diversas coberturas e assistências disponíveis, em muitos casos é mais vantajoso ter um seguro de vida do que guardar dinheiro como reserva de emergência.

3 – Educação: O seguro educacional é uma proteção para pais, alunos e escolas, já que garante a continuidade da educação no caso de eventualidades que afetem o pagamento da mensalidade por parte do contratante. Ao assegurar a permanência de muitos estudantes nas escolas, o seguro contribui, a médio e longo prazos, para aumentar o nível médio da educação no país.

4 – Prevenção: “Antes de contratar o seguro, observe exatamente o que você precisa, pois, cada cobertura e assistência serve para uma finalidade específica. No campo da prevenção, há coberturas para Perda de Renda por Desemprego Involuntário e Diária de Incapacidade Temporária, que mantém a renda em casos de afastamento do trabalho devido a doença ou acidente pessoal, neste caso, beneficiando principalmente profissionais liberais e autônomos, como motoristas de aplicativos e empreendedores digitais”, destaca Castello.

Existem também coberturas diferenciadas como o serviço Palavra de Médico, que possibilita atendimento em diversas especialidades por especialistas brasileiros e internacionais, podendo ser contratado individualmente ou na modalidade de plano para toda a família.

5 – Saúde: Caso uma pessoa seja diagnosticada com uma doença grave, é possível utilizar o seguro de vida como complemento ao plano de saúde, por exemplo, para custear a jornada de tratamento e até para realizar viagens na circunstância de pacientes terminais. “A proteção pode proporcionar acesso a um tratamento mais rápido e avançado, muitas vezes utilizando procedimentos não contemplados pelo rol de coberturas dos planos de saúde aprovado pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar)”, finaliza o executivo.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta