genial

A transformação digital causada pela pandemia impactou profissionais de todos os segmentos, e no mercado de seguros muitos corretores foram obrigados a experimentar pela primeira vez a gestão à distância. Agora que perceberam que é possível atuar de forma remota, reduzindo custos administrativos, estão buscando soluções para otimizar ainda mais rotina profissional e focar em vendas. Foi nesse período que a Regula Sinistros, startup que oferece a corretores terceirização no atendimento aos sinistros dos segurados, cresceu mais de 30%, e relançou seu plano de atendimento Light, atendendo profissionais de todos os portes.

Para Daniel Bortoletto, CEO da empresa, o mercado está muito competitivo, e “corretor forte é corretor que produz”. “Com as mudanças pelas quais passa o setor de seguros, a inovação com o Open Insurance e tantos novos jeitos de distribuir seguros, o corretor precisa competir com canais que já nascem inovando”, avalia. “Uma forma assertiva de trabalho é terceirizando seus atendimentos e dando total foco em vendas. As vendas realizadas por corretores tendem a ser mais efetivas, gerando negócios de qualidade ao invés de quantidade, o que diminui a sinistralidade”, aponta.

Reduzindo seus custos de forma inteligente, o corretor pode investir em novos produtos mais rentáveis e que necessitam de especialização, maior dedicação na prospecção e venda, trazendo mais receitas para sua corretora. “É fundamental diminuir os custos da corretora de forma inteligente, pois muitas vezes uma pessoa que está atolada com tarefas administrativas de sinistros poderia ajudar a vender mais, se aproximando melhor dos clientes da carteira, destacando oportunidades de serviços de assistência de forma proativa, surpreendendo seus segurados e comunicando sobre outros produtos para ampliar os negócios com o mesmo cliente”.

Telegram para post

O Custo de Oportunidade, conceito defendido pela Regula Sinistros, está presente toda vez que o corretor precisa desfocar para atender um sinistro. “Um corretor com 10 sinistros por mês poderia estar vendendo 10 apólices novas. É mais importante cuidar dos sinistros ou vender? Os dois, mas essa tarefa administrativa hoje pode ser delegada a profissionais especialistas e que possuem trâmite dinâmico nessa área com as companhias seguradoras”.

Para se destacar no mercado da corretagem de seguros hoje é preciso ser visionário, um verdadeiro gestor da corretora, pensando no seu sucesso e competitividade. “Atuamos como representantes da corretora e oferecemos atendimento profissional em diversos ramos de sinistros, mas mantendo a essência do atendimento humanizado, focado no sucesso dos segurados e terceiros. Nossa maior alegria é quando um terceiro pede o contato para fazer o seguro e passamos para o corretor”, diz Bortoletto.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta