furtos

Os seis primeiros meses de 2021 foram mais violentos do que o semestre anterior, no que se refere aos roubos e furtos de veículos, no Brasil. O alerta é do Grupo Tracker. Entre janeiro e junho de 2021, a companhia registrou crescimento de 8,33% no número de eventos, na comparação com o período de julho a dezembro de 2020.

Os segmentos com alta mais significativa foram Carga (32,27%), Caminhão (25,57%) e Utilitários (15,87%). “Os veículos pesados foram os que tiveram a menor queda no número de eventos durante a pandemia toda, uma vez que praticamente não diminuíram as atividades, pelo contrário, com o aumento da demanda de compras online, produtos de higiene, fármacos e alimentícios, as transportadoras trabalharam mais”, afirma o diretor comercial do Grupo, Rodrigo Abbud.

Já a alta no índice de roubos e furtos dos Utilitários tem duas explicações. Segundo Abbud, “uma parcela está também associada ao aumento da circulação de veículos de médio porte para entregas domiciliares e outra parcela deve-se à volta dos SUVs e pick-ups para as ruas, com a flexibilização da quarentena. Quanto mais carros nas ruas, maior a vulnerabilidade aos criminosos”.

Telegram para post

No caso dos segmentos Automóvel e Motocicleta (acima de 200 cilindradas), o Grupo Tracker registrou estabilidade. A queda nas ocorrências, que chegou a -17,63% e -18,92%, respectivamente, na comparação entre o 1º semestre de 2021 e o 1º semestre de 2020, caiu para -3,71% e -1,26%, em relação aos meses de julho a dezembro do ano passado.

“Para os próximos meses, é possível que esse índice volte a subir, já que as pessoas estão voltando para suas rotinas e expondo mais os seus veículos. O Grupo Tracker está atento a todos os passos dos criminosos, para oferecer as melhores soluções para os consumidores minimizarem os riscos da perda de seus bens”, conclui o executivo.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta