pandemia

A pandemia da Covid-19 envolveu o mundo em uma crise sistêmica, impactando, além da saúde pública, o convívio social, a economia e o comércio dos países. Adaptações à nova realidade precisaram ser feitas em todos os setores, e isso não seria diferente no mercado segurador. Esse momento de desafios evidencia a necessidade de revisar o planejamento e reagir rapidamente às transformações que acontecem diariamente.

Atenta ao cenário, a MDS Brasil lançou um e-book contendo informações, vivências e experiências transmitidas pelos líderes da companhia. Cronologicamente estruturado, o livro digital remonta à descoberta do coronavírus e sua chegada em solo nacional. Também traz entrevistas e artigos nos quais executivos da companhia descrevem as adaptações e reinvenções que foram feitas em seus modelos de negócio para garantir a continuidade à prestação e serviços de qualidade aos clientes e à sociedade como um todo diante desta nova realidade mundial.

O material tem infográficos com dados exclusivos de saúde mental, economia nacional, mundial e os reflexos sobre as diferentes modalidades de seguros do setor, e conta com a colaboração de executivos de destaque no cenário internacional, como José Manuel Dias da Fonseca, CEO Global da MDS e também Chairman e fundador da Brokerslink; Ariel Couto, CEO da MDS Brasil e Américas Regional Manager da Brokerslink e Jorge Luzzi, CEO Global da RCG, que contribuíram com análises estratégicas e um olhar clínico para entender como o setor terá desdobramentos nos pós pandemia. O conteúdo é complementado com entrevistas de grandes empresas parceiras da corretora, que tiveram êxito ao entenderem o cenário e transformarem com maestria os processos durante a pandemia.

Produzido a partir da visão multidisciplinar de diversos especialistas do setor, o Dossiê traz prefácio da jornalista Karin Fuchs e entrevistas exclusivas com José Manuel e Ariel Couto assinadas por Denise Bueno. Seguindo o seu propósito, a empresa deixa seu legado por meio do e-book, compartilhando conhecimento e disseminando boas práticas por meio de exemplos e experiências reais. “Não é novidade que a pandemia impactou quase todos os projetos e planos que a precederam. A chegada dessa crise mundial foi, e continua sendo, um forte parâmetro para rearranjar as decisões tomadas no presente e, consequentemente, recalibrar o olhar para o futuro pós-pandêmico. E foi o que fizemos. Reagimos de forma rápida, assim como o mercado de forma geral, adaptando os nossos processos e nossas soluções à novas necessidades que, até então, não eram vistas como importantes a curto prazo. Nesse dossiê, conseguimos reunir alguns casos de sucesso da nossa empresa e de grandes parceiros de negócios”, afirma Ariel.

Telegram para post

Riscos evidenciados

Riscos Cibernéticos, Saúde Mental e Interrupção de Negócios são algumas das ameaças constantemente presentes no cerne das questões trazidas pela Covid-19. Embora pandemias sejam consideradas riscos não mitigáveis, os impactos sem precedentes do coronavírus levaram seguradoras, operadoras de saúde e outros parceiros da corretagem a flexibilizarem regras, delinearem novas proteções e romperem paradigmas no intuito de proteger a sociedade e os negócios com ainda mais eficiência.

As empresas de seguros devem propor soluções para remediar o impacto financeiro da pandemia e preservar vidas. Atenta às mudanças comportamentais, a MDS Brasil trabalha para ajudar as organizações a prevenir perdas. O uso de dados e tecnologia de uma forma mais estruturada tem possibilitado uma nova capacidade de adaptação para enfrentar os desafios que estão por vir. Aliado a esse foco, os anos de 2020 e 2021 já registram aumento nos investimentos em tecnologia digital e de dados em todo o mercado segurador.

“Um estudo revelou que antes da Covid-19, em 2018, o mercado de seguros para riscos cibernéticos representava US$ 4.8 milhões. As projeções para 2026 indicavam crescimento de 25%, pulando para um valor de US$ 28.6 milhões. Com o advento do isolamento social e do home office, colaboradores de algumas empresas passaram a acessar o trabalho por conexões domésticas, que contam com menos proteção que as redes corporativas. Como consequência, os ataques se tornaram mais frequentes, além de sofisticados, o que acarretou na maior procura pela cobertura e a necessidade de desenvolvimento de produtos mais abrangentes pelo mercado”, explica Ariel Couto. Para o executivo, o Dossiê tem uma grande relevância tanto para os colaboradores e parceiros da companhia, quanto para as empresas que atuam no setor de seguros e buscam informações de credibilidade para traçar novos rumos de negócios.

Para ler o e-book, basta acessar o link.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta