capitalização

Diante dos desafios de se agradar cada vez mais o consumidor, as empresas de promoção têm buscado um tradicional setor da economia que também vem se reinventando: a Capitalização. A explicação neste movimento é simples: a modalidade de Incentivo permite que títulos sejam utilizados com foco em ações de relacionamento e eventos. Os sorteios da Capitalização assumem, portanto, funções distintas: uma de caráter promocional com estímulo às vendas, outra de fidelização.

Combinadas aos sorteios, a solução atende de maneira efetiva às novas e crescentes demandas do mercado de promoções e eventos, entre outros segmentos. Uma empresa de varejo, por exemplo, pode adquirir uma série inteira de títulos e cede aos seus clientes o direito a participar de sorteios. É uma forma de alavancar vendas, atrair novos consumidores, girar estoques e promover retenção à marca.

“Nesta época, as empresas buscam se aproximar ainda mais, renovar contratos e criar eventos, ainda que virtuais, pelo encerramento do ano e agradecimento pela parceria. Os títulos de Capitalização nesta modalidade podem ser usados em premiações, como ocorria com os carros sorteados nas promoções dos shoppings”, explica Marcelo Farinha, presidente da Fenacap (Federação Nacional de Capitalização). “Na verdade, o veículo estava exposto, mas por trás havia o prêmio do título naquele valor, que permitia a troca”, completa ele.

Telegram para post

A vantagem dos sorteios promocionais, além da distribuição de prêmios, em geral em dinheiro, é a possibilidade de fidelização dos clientes. Além disso, o título de Capitalização funciona ainda como motivação para que os clientes mantenham em dia o pagamento de suas compras para continuar participando dos sorteios.

“As novas relações de consumo exigem mudanças rápidas e uma série de adaptações. O produto, no caso da Capitalização, pode ser feito sob medida, atendendo todas as exigências da empresa às necessidades de exposição da marca e perfil do público, por exemplo, o que ainda garante mais proximidade com o cliente”, afirma Farinha.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta