assistência

A conjuntura instaurada pela pandemia fez com que as pessoas mudassem a percepção sobre alguns hábitos antigos em relação ao seu estilo de vida. O trabalho remoto, por exemplo, foi uma das principais mudanças na forma como muitos brasileiros lidam com o cotidiano, causando um impacto significativo nas rotinas diárias. A Allianz Partners Brasil observou um aumento de mais de 20% na abertura de assistência residencial de janeiro a junho de 2021, comparado com os mesmos meses de 2020.

“Os dados levantados pela empresa reforçam a necessidade de adaptação aos novos tempos”, explica Vincent Bleunven, CEO da companhia. “Estamos dando todo o suporte e facilitando o dia a dia das pessoas que estão enfrentando mudanças drásticas em suas vidas”, afirma.

De acordo com o estudo sobre a vida pós-pandemia do Futurologista Ray Hammond, a perspectiva sobre a casa ganhará um novo significado pós-Covid-19. O lugar em que antes se passava poucas horas do dia se tornou uma fortaleza digital: agora é o cantinho para trabalhar, estudar, praticar exercícios e descansar; ou seja, a rotina foi condessada em alguns metros quadrados.

Telegram para post

Como reflexo dessa tendência, a procura pela assistência residencial tem aumentado e, dada mudança abrupta de muitas empresas para o home office, as pessoas começaram a se atentar aos problemas de residência que antes eram protelados.

“A maior demanda pelo serviço residencial acontece diante da necessidade de o indivíduo passar mais tempo em casa e se atentar à manutenção dos equipamentos de uso diário, como o reparo de componentes elétricos, hidráulicos e eletroeletrônicos. Além disso, a nova percepção sobre lar e a ressignificação do conceito de casa proporciona a oferta de maior conforto e segurança para a família”, ressalta Bleunven. “É a partir desse novo olhar que a assistência residencial se reinventa para oferecer o melhor serviço, adequando-se às mudanças do novo normal, que incluem o papel do especialista desde o check-up e conserto do chuveiro, até a instalação de novos equipamentos e mobiliária”, complementa.

A partir desse cenário e do “novo normal” firmado pela pandemia, novos desafios e necessidades surgiram, trazendo uma nova perspectiva do indivíduo sobre o cuidado e preocupação com o bem-estar pessoal e coletivo.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta