seguro

A sustentabilidade está atualmente entre os temas de maior importância para a agropecuária. Produtores, cooperativas e empresas buscam soluções para que a produção evolua ao máximo, seguindo também o propósito de poupar recursos e colaborar para a preservação do meio ambiente. A seguradora Fairfax Brasil está atenta ao tema para que as apólices de seguro também possam refletir essas tendências.

“Na unidade de negócios agro da empresa, constantemente conversamos sobre o desenvolvimento de produtos focados em uma agricultura sustentável para que possamos estimular e valorizar mais as boas práticas de manejo”, afirma Diego Caputo, gerente comercial de Agronegócios da companhia.

Culturas consorciadas

Um exemplo disso é que a seguradora já oferece um seguro agrícola multirrisco grãos para áreas de milho consorciado com braquiária. A braquiária favorece o manejo de solo pois desenvolve um sistema radicular profundo que colabora para a descompactação do solo, além de produzir palhada abundante que serve de cobertura e proteção do solo e ainda auxiliar no controle de plantas daninhas.

Associada ao milho, a braquiária colabora para o rendimento da cultura comercial. A forrageira serve como fonte de cobertura vegetal até a safra posterior de soja. Em casos de sistemas de integração, a braquiária é útil na formação de pastagem para alimentar o gado. Observando esses benefícios agronômicos e a demanda dos agricultores, a Fairfax desenvolveu o seguro agrícola para milho-braquiária, que vem sendo ofertado desde 2020. O seguro oferece cobertura contra chuva excessiva, geada, granizo, seca, ventos frios, raio, incêndio, tromba d’água e ventos fortes.

Na safra 2019/20, uma área total de cerca de 15 mil hectares de milho safrinha consorciado com braquiária foi assegurada pela empresa. “O milho consorciado com braquiária tem um zoneamento climático diferente do milho solteiro. Dessa forma, o produtor consegue ajustar a cultura em outra janela de plantio e ainda beneficia a saúde do solo”, diz Caputo. Outras culturas alternativas ao milho safrinha, como o trigo e o sorgo, também recebem a atenção da seguradora. “Produtos de rotação de cultura passam a ser acomodados adequadamente no seguro. Neste ano, conseguimos viabilizar a oferta de seguro agrícola para a cultura do sorgo”, completa o executivo.

Sistemas integrados

Atualmente, a Fairfax Brasil já oferece modalidades de seguro agrícola para culturas solteiras ou consorciadas, seguro pecuário e seguro para florestas. No entanto, a novidade é que a seguradora também está desenvolvendo um produto adequado para sistemas integrados, trazendo ainda mais vantagens ao produtor.

De acordo com Caputo, a empresa está desenvolvendo um seguro personalizado capaz de atender as áreas de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) e Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF). Os produtores pode esperar novidades em 2022. “A seguradora atua com uma visão sustentável, respeitando políticas de preservação ambiental, de responsabilidade social e governança corporativa”, afirma Caputo.

Os sistemas integrados são uma grande tendência e já ocupam cerca de 15 milhões de hectares no Brasil, segundo estimativa da Embrapa. A diversificação de negócios agropecuários está diretamente atrelada à gestão de risco. O agricultor que inicia uma criação pecuária e o pecuarista que investe em agricultura conseguem verticalizar a produção na fazenda, promover o aumento de produtividade, conquistar novas fontes de renda e ainda minimizar riscos. “O grande desafio mundial é aumentar a produção de alimentos sem ampliar a área cultivada. O caminho é restaurar pastagens degradadas, investir em manejo de solo e permitir a produção de safras em rotação com a criação de gado”, conclui o executivo.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta