crédito

EXCLUSIVO – A Revista Apólice realizou no final da tarde de ontem, 04 de maio, mais uma edição do evento “Diálogos CEO”, que dessa vez contou com a participação da nova presidente da Coface, Rosana Passos. A executiva falou um pouco sobre como está sendo sua experiência no cargo, comentando também sobre a importância do seguro de crédito e a evolução do segmento no Brasil.

Rosana assumiu a presidência da empresa há apenas dois meses e é graduada em Matemática com MBA em Finanças e Riscos, além de ser mestre em Ciências Atuariais e Contábeis. A sucessora de Marcele Lemos afirmou que está orgulhosa de fazer parte de uma companhia na qual a diversidade não é apenas discutida, mas sim praticada. “57% do nosso quadro de colaboradores no Brasil é formado por mulheres, No grupo de liderança, representamos 62%. A representatividade de gênero nos últimos tempos tem sido muito discutida, o que leva os conselhos de administração a se preocuparem em ter um número igualitário de homens e mulheres. Equipes diversas são mais inteligentes e produtivas, e quem descobriu isso já está na vantagem”.

A presidente da Coface disse que sua primeira missão na seguradora é seguir promovendo a diversidade na seguradora, difundindo também práticas ESG de forma mais ampla. “Essa pandemia trouxe muitas incertezas e é meu papel mostrar para o mercado que, além de contarmos com os melhores produtos e serviços nessa área, temos um excelente time. Queremos ajudar as empresas de realizarem seus negócios de forma mais segura”, ressaltou Rosana.

Falando sobre seguro de crédito, a executiva afirmou que ainda há muito espaço para o segmento crescer no Brasil. No ano passado, a carteira teve uma arrecadação de R$ 500 milhões em prêmios contra um PIB de R$ 7,5 trilhões, o que significa uma baixa penetração. “O seguro de crédito ajuda na mitigação de riscos das empresas, sendo relativamente barato em comparação aos benefícios que traz às organizações. Entendemos em momento de crise e incertezas é natural que as companhias busquem ferramentas para se proteger, e o produto é um ótimo aliado nesse quesito”.

Rosana disse também que, apesar de ser mais comum empresas multinacionais contratarem o seguro de crédito, qualquer companhia pode usufruir do benefício, pois o produto é aderente a qualquer porte, segmento e nacionalidade. “Antes de qualquer coisa, buscamos entender qual é a dificuldade e a realidade daquela empresa para construir junto com o cliente uma solução customizada para o seu negócio. Ela ainda ressaltou que a tecnologia é uma grande aliada nesse processo, oferecendo mais agilidade e agregando na experiência do consumidor.

A executiva abordou a importância do papel do corretor para que o segmento cresça, pois é ele quem tem contato direto com o cliente e sabe exatamente quais são suas necessidades. “Mas para isso, é necessário que o profissional seja um especialista neste produto e busque sempre conhecimento técnico para orientar o segurado. O seguro de crédito pode ser um ótimo aliado para a retomada da economia, e esse é o momento das organizações pararem para refletir sobre quais riscos estão expostas. Corretores devem aproveitar essa oportunidade para expandirem a carteira”.

A Coface cresceu 37% de 2019 para 2020 e Rosana disse que o principal desafio da seguradora neste ano é continuar essa escalada, mesmo com um cenário de incertezas. “Talvez não iremos conseguir repetir essas cifras por conta da pandemia, mas mais do que crescer nos números, o que a gente quer é que o mercado conheça os benefícios do seguro de crédito. Esperamos um crescimento do PIB na ordem de 2.8% em 2021 e, embora estejamos em crise, a sinistralidade vem se reportando abaixo das nossas expectativas. Podemos contribuir para a economia do país de uma forma generalizada, por isso o seguro cumpre um papel tão importante na sociedade”.

Veja o evento na íntegra:

Nicole Fraga
Revista Apólice

Deixe uma resposta