seguros

O fechamento total do primeiro trimestre na Rede Lojacorr atingiu a produção de R$ 228.196.658,92, o que representa um crescimento de 47,17%, na comparação do mesmo período de 2020. O crescimento de consórcios foi de 40,5%, totalizando R$ 11,6 milhões produzidos. No comparativo da produção de seguros, fechou o período com R$ 172 milhões produzidos, o equivalente a um crescimento de 22,59%. Os demais segmentos cresceram 549%, totalizando R$ 43 milhões. Nos primeiros três meses do ano, 46 novas corretoras de seguros entraram para a Rede.

Todos os principais ramos comercializados cresceram, com destaque para: Automóvel, Saúde, Empresarial, Vida, Residencial, RD Equipamentos, Transporte, Responsabilidade Civil, Garantia é Condomínio. Foram protocolados 93.769 documentos, 14.226 a mais na comparação com o primeiro trimestre de 2020.

Das companhias parceiras da Lojacorr, 80% cresceram, com destaque para: Bradesco, Mapfre, Sompo, Mitsui, Allianz, Amil, Unimed, SulAmérica, MetLife e Suhai. Assim como 49 Unidades também tiveram alta, com destaque para: Maringá PR, Campinas SP, São Paulo SP, Mato Grosso MT, Chapecó SC, Vale do Aço MG, Belo Horizonte MG, Sul de Minas MG, Maranhão MA e Sudoeste PR. Já em relação às corretoras da Rede, 75% tiveram aumento, com destaque para: DB Armelin (Atalaia/PR), SACS (Tubarão/SC) Afirmativa (Ipatinga/MG), M & K (São Luís/MA), Forte Brasil (Curitiba/PR), A3 MG (Governador Valadares/MG), FAG (Marialva/PR), Nossa Broker (Mossoró/RN), Viconseg (Vitória da Conquista/BA) e Dias & Costa (Juiz de Fora/MG).

De acordo com o diretor Comercial (CCO) da Rede, Geniomar Pereira, o primeiro trimestre do ano foi brilhante para a empresa. “Agora temos que continuar no ataque, porque vencemos apenas mais uma batalha. Precisamos seguir fortes em abril, a fim de partirmos para o encerramento do 1º semestre com um bom crescimento. Foguete não tem ré e quem tem limite é apólice!”, diz o executivo.

As companhias cujos contratos foram renovados com a Lojacorr no 1º trimestre foram: Bradesco, Chubb, Livonius (Essor), Icatu, Metlife, SulAmerica, Berkley, HDI, Seguros Unimed, Mapfre, Sompo, Sura, Tokio e Zurich.

As receitas dos segmentos supervisionados pela Susep (Superintendência de Seguros Privados) totalizaram R$ 46,47 bilhões nos dois primeiros meses de 2021, um aumento de 4,0% em relação ao mesmo período de 2020, quando as receitas totalizaram R$ 44,69 bilhões. Os seguros de danos seguem como destaque, com um crescimento de R$ 1,38 bilhão na arrecadação de prêmios em 2021, quando comparado ao mesmo período de 2020, o que corresponde a um crescimento de 11,6%. Foram movimentados R$ 13,28 bilhões nos dois primeiros meses de 2021, face aos R$ 11,90 bilhões do mesmo período em 2020. Os seguros de pessoas foram responsáveis pela arrecadação de R$ 27,55 bilhões este ano, o que representa uma alta de 2,2%, ou R$ 590 milhões, em relação aos dois primeiros meses de 2020.

N.F.
Revista Apólice

1 COMENTÁRIO

  1. Esses números divulgados pela Lojacorr não são auditados por ninguém! É difícil acreditar que com a pandemia e com o PIB retraindo muito uma corretora possa ter tido um crescimento dessa magnitude!

Deixe uma resposta