Roberto Santos, presidente da Porto Seguro
Roberto Santos

EXCLUSIVO – A Porto Seguro divulgou hoje os resultados do primeiro trimestre de 2021. Em um ano completamente atípico, a companhia alcançou resultados positivos nos três primeiros meses do ano, quando comparados ao mesmo período do ano anterior. A empresa encerrou o período com R$ 296,6 milhões de lucro líquido, chegando a um ROAE de 14,7% a.a. (4,0 p.p. vs. 1T20). O resultado financeiro chegou a R$ 193,7 milhões no trimestre, com um retorno sobre as aplicações financeiras de 2,36% (equivalente a 488% do CDI do período).

Roberto Santos, presidente da companhia, disse à revista Apólice que a empresa possui um portfolio que inclui, além do seguro, negócios financeiros, saúde e serviços. “Em seguros, sofremos um pouco na carteira de vida, por conta do impacto da Covid, mas houve uma redução de frequência de sinistro em automóveis. Estas movimentações acabaram equilibrando a sinistralidade. Em seguro residencial, os sinistros aumentaram porque as pessoas ficam mais em casa e solicitam mais serviços”, avalia o executivo.

A empresa encerrou o período com R$ 296,6 milhões de lucro líquido. Esse resultado é decorrente principalmente das alocações em títulos indexados à inflação, em ativos de renda variável e em fundos multimercado.

No consolidado de todos os negócios de seguros, o índice combinado atingiu 92,3%, co melhora de 1,8 p.p. no trimestre frente ao mesmo período de 2020, principalmente devido ao aperfeiçoamento na precificação e subscrição de riscos, e redução na sinistralidade decorrente do isolamento social, contribuindo para menores frequências de sinistros, especialmente no seguro Auto. O índice de despesas administrativas e operacionais, desconsiderando despesas e incentivos a programas sociais para combater os impactos da pandemia na sociedade, melhorou 0,3 p.p. (vs. 1T20), alcançando o melhor nível para um primeiro trimestre na série histórica dos últimos 10 anos em razão dos investimentos em tecnologia e aperfeiçoamento de processos para aumentar a eficiência operacional.

Na vertical Seguros, os prêmios da Porto cresceram 6,6% (vs. 1T20), alavancados principalmente pelo aumento dos prêmios dos seguros Auto e Patrimoniais. A carteira de seguro Auto obteve expansão de 6,7% nos prêmios emitidos e um incremento de 124 mil veículos em relação ao 1T20. Os prêmios dos seguros Patrimoniais avançaram 8,5% e os prêmios do seguro de Vida cresceram 2,6%, com destaque para o desempenho do Vida Individual.

A vertical Saúde apresentou expansão de 5,1% nos prêmios e receitas. Os prêmios do seguro Saúde Empresarial evoluíram 4,7%, com crescimento de 34,3% no número de empresas seguradas em comparação ao primeiro trimestre de 2020. O Seguro Odontológico alcançou 651 mil vidas seguradas, uma expansão de 7,6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Na vertical Negócios Financeiros, a carteira de crédito atingiu R$ 10,4 bilhões, crescimento de 29,0% em relação ao 1T20, e obteve um aumento de 16,2% nas receitas recorrentes, com crescimento de duplo dígito nos principais negócios e destaque para a expansão de 39,1% na carteira de Financiamento e para o crescimento de 29,7% nas receitas do Consórcio. O gerenciamento eficaz da carteira de crédito e as ações para mitigação de risco contribuíram para a redução da inadimplência (NPL +90 dias), que atingiu 4,0%, apresentando melhora tanto em relação ao 4T20 (-0,4 p.p.) quanto ao 1T20 (-0,8 p.p.) e ficando abaixo da média mesmo quando comparado com períodos anteriores à pandemia.

“É interessante lembrar que, embora estes não sejam produtos securitários, eles são distribuídos pelos corretores de seguros. 60% das vendas de consórcio são feitas por corretores de seguros”, acrescenta Santos.

Na vertical Serviços, as receitas recorrentes cresceram 21,9%, com destaque para o Carro Fácil, que alavancou 25,2% e alcançou 7,4 mil contratos ativos (+17,5% vs. 1T20), e também para a expansão de 53,9% nas receitas da Porto.Pet (nome da nova marca em substituição à Health for Pet). A vertical Serviços conta também com outros produtos sinérgicos aos negócios da Porto Seguro com alto potencial de expansão, tais como o Porto Cuida, Porto Faz e o Reppara!.

“Fizemos muitos investimentos em tecnologia e em pessoas, na parte de modelagem de riscos, por exemplo. Tanto é assim que nossa taxa de conversão aumentou muito pelo aperfeiçoamento do uso de dados”, conta Santos.

No campo da inovação, no primeiro trimestre de 2021 houve o lançamento de importantes iniciativas para os objetivos estratégicos da Porto Seguro, como o “Bllu”, primeiro seguro de automóvel por assinatura, que traz a proposta de um produto de fácil contratação, com benefícios e coberturas essenciais e potencial de alavancar o crescimento da carteira de clientes da empresa e contribuir com o aumento da inclusão securitária. Outra novidade foi o lançamento do “Tech Fácil”, serviço de assinatura para smartphones da Porto Seguro.

Para o futuro, Santos acredita que não haverá um grande aumento da frequência de sinistros. “A pandemia mudou a relação das pessoas com o trabalho e a sua percepção do risco. O trabalho deve continuar no modelo híbrido e as pessoas vão continuar investindo em serviços para facilitar a sua vida. Cada vez mais vamos olhar para os quatro pilares de negócios de forma independente”, avalia o presidente da Porto Seguro, que também ocupa o cargo de diretor de RI.

Sobre os corretores de seguros, Santos acredita que é preciso continuar investindo na diversificação dos seus negócios, procurando comercializar outros produtos de seguro além do automóvel. “Há muito espaço para a diversificação de oferta de produto além do seguro”.

Kelly Lubiato
Revista Apólice

*com informações da Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta