irb
(FOTO: Site Defesanet)

A tecnologia ArcGIS, sistema de informação geográfica mais utilizado no mundo, está presente na área de Modelagem de Catástrofe do IRB Brasil RE por meio da Imagem Geosistemas, representante exclusiva da Esri no Brasil. A tecnologia de análise geospacial possibilita que o ressegurador faça as análises de dados que contribuem na gestão de riscos nas linhas de negócios de Property.

A relação entre as companhias teve início em 2017, quando o Instituto verificou a necessidade da ferramenta em alguns processos. O ArcGIS, hoje, possibilita reunir diversas informações necessárias e úteis para controle de riscos e análise de novos negócios em um só lugar. “Uma vez que lidamos com diversos negócios e riscos, temos a necessidade de fazer esse controle e, com isso,contar com mais uma ferramenta que nos possibilite tomar as melhores decisões. É justamente aí que o ArcGIS tem o encaixe perfeito”, conta William Lacerda, especialista da área de Modelagem de Catástrofe. A plataforma de monitoramento de riscos do IRB Brasil RE leva o nome de Portal CatHazard.

A tecnologia ajuda no monitoramento, no controle de exposição e na subscrição de riscos, disponibilizando em uma plataforma as localizações dos negócios ressegurados e suas características de uma maneira fácil, rápida e intuitiva. Diante dessas informações, o ressegurador conta com mais uma fonte que subsidia os subscritores no momento de assumir ou não determinados riscos.

Telegram para post

O ArGIS traz informações importantes, como se um determinado local é suscetível a eventos climáticos. “A tecnologia é aderente aos nossos processos e nos ajuda a monitorar a nossa carteira de clientes, dando informações precisas de quantas indústrias temos em uma determinada região, qual a geolocalização de cada uma delas, entre outras informações espaciais que são importantes para fecharmos novos negócios”, explica Lacerda.

O IRB Brasil RE palestrará no Esri Business Summit 2021, evento que acontece no dia 29 de junho, exatamente sobre esse tema. Na apresentação, Lacerda mostrará como a ferramenta ajuda no gerenciamento de riscos e como a tecnologia GIS pode ajudar, de forma preditiva, a analisar os riscos para uma correta e justa valoração de um seguro.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta