pessoas

EXCLUSIVO – No dia 14 de maio é celebrado nos continentes americanos e na Espanha o Dia Continental do Seguro. O objetivo da comemoração é dar visibilidade para o setor que protege a saúde e o patrimônio de tantas pessoas. A data foi instituída oficialmente durante a 2ª Conferência Hemisférica de Seguros, em 1948, no México, em homenagem a realização da 1ª Conferência de Seguros, que aconteceu em 1946, em Nova York. O dia também marca a data da fundação da Federação Interamericana de Seguros (Fides).

Além da data ser destinada a conscientizar a população sobre a necessidade da proteção dos seus bens tanto materiais quanto imateriais, é também comemorada a importância do setor para a economia. O seguro proporciona o que os economistas chamam de “externalidades positivas”, isto é, seus efeitos positivos transbordam para os demais setores da economia, permitindo o incremento do consumo, dos lucros, de empregos e o aumento do bem-estar social.

No Brasil, o setor equivale a 6,7% do PIB e apresenta crescimento constante e dinâmico frente a outras indústrias. Segundo dados divulgados pela Susep ((Superintendência de Seguros Privados), as receitas dos segmentos supervisionados pela entidade totalizaram R$ 71,16 bilhões nos três primeiros meses de 2021, um aumento de 9,9% em relação ao mesmo período de 2020, quando as receitas totalizaram R$ 64,74 bilhões.

seguro
Renato Pedroso

Para Renato Pedroso, CEO da Previsul, ter uma data para ressaltar a importância do seguro é muito relevante para o setor, ao passo que promove discussões sobre o papel dos produtos securitários na vida da sociedade e no desempenho da economia. “O mercado de seguros auxilia na formação de poupança interna do país e no planejamento financeiro da população, diluindo os riscos financeiros dos eventos cobertos entre os contratantes e contribuindo para uma melhor estabilidade das finanças das famílias. O mutualismo, essência do seguro, dilui o risco destes eventos, proporcionando o acesso a valores relevantes a título de indenização, mediante contribuição mensal proporcionalmente baixa, às pessoas que são atingidas por sinistros cobertos”.

 

Leonardo de Freitas

De acordo com Leonardo de Freitas, diretor de Organização e Vendas da Bradesco Seguros, um dos principais benefícios de se adquirir uma apólice é que, a partir disso, o segurado passa a entender melhor sua importância a partir dos imprevistos quando para avaliar o papel das suas coberturas no dia a dia. “Quantas vezes você já economizou tempo e dinheiro porque acionou o seguro para resolver algum problema com o carro? Ou quanto já poupou de gastos médicos por investir em um plano de saúde? Já deixou de fazer reforma ou trocar algum eletrodoméstico com a cobertura do seguro residencial? Esses são só alguns exemplos dos benefícios de se ter um seguro, em situações que fogem completamente do nosso controle. Mas, vale reforçar que contar com um seguro vai muito além da proteção do nosso patrimônio, pois também pode proteger a vida das pessoas e de seus familiares; além de garantir um futuro mais tranquilo”.

seguro
Helton Freitas

Helton Freitas, diretor-presidente da Seguros Unimed, afirma que a complexidade deste novo cenário reforçou a importância que a adesão ao seguro tem para a vida das pessoas, trazendo como destaque até mesmo o seguros de vida e de renda temporária (Serit). “As pessoas, ao ficarem mais expostas às vulnerabilidades e de forma não prevista, passam a priorizar soluções que assegurem proteção, saúde e bem-estar e segurança financeira para transpor o momento com tranquilidade. Por muito tempo a percepção de seguro foi relacionada à despesa, mas esse cenário mudou e As empresas agregam cada dia mais serviços aos seus produtos, de forma que a experiência do consumidor seja cada dia mais positiva”.

Luciano Lima

Segundo Luciano Lima, diretor comercial da SulAmérica, é dever dos representantes do setor desenvolver um trabalho de aculturamento da importância de adquirir um seguro, gerando mais envolvimento e oportunidades de negócios para as companhias. “A própria comunicação do mercado evoluiu nesses últimos anos. Além disso, os corretores estão mais capacitados e atuam como consultores para oferecer diversos produtos da carteira, o que auxilia e muito no aumento da penetração do seguro no Brasil. O mercado tem que buscar ferramentas junto à mídia para difundir a cultura do seguro na sociedade, explicando sua essência, bem como simplificando suas terminologias e a forma de contratação”.

Gustavo Carvalho

Gustavo Carvalho, diretor comercial da regional São Paulo da AXA no Brasil, diz que apesar de ainda projetarmos um cenário desafiador, com muitas incertezas em relação ao fim da pandemia e a retomada da economia, enxerga o futuro de forma otimista e já é possível perceber sinais de melhora. “O mercado em geral está sendo desafiado a se reinventar. Um dos caminhos viáveis para dar continuidade aos negócios é a inovação em ambiente digital, possibilitando que milhares de pessoas se mantenham protegidas. Firmas parcerias, automatizar processos internos e externos e inovar o portfólio, oferecendo soluções cada vez mais personalizadas, é o que vai fazer o setor seguir demonstrando sua resiliência”.

Nicole Fraga
Revista Apólice

Deixe uma resposta