sindseg

Como evitar problemas financeiros quando numa empresa societária, um dos cotistas vem a falecer? O seguro de sucessão empresarial é um caminho que pode garantir a sobrevivência e a continuidade das conquistas da empresa.

Quando há casos de falecimento de um dos sócios, a família passa a assumir a parte da sociedade.

Normalmente as empresas não possuem liquidez no caixa para poder comprar as cotas dos sócios falecidos e acabam não tendo opção, a não ser aceitar a família na sociedade. Na maior parte dos casos, o sucessor não possui as atribuições profissionais que garantiriam o progresso da empresa.

“O seguro de sucessão serve para proteger a empresa numa situação como essa, porque ele deixa a empresa como beneficiária. Então, é feito um cálculo baseado nas cotas dos sócios, no qual, após o falecimento de um dos integrantes, a empresa recebe um capital equivalente ao valor das cotas desse sócio, capitaliza e utiliza esse valor para comprar da família as cotas. Normalmente são sugeridas alterações no contrato social para que isso aconteça, de fato”, explica Thiago Sena, especialista em planejamento de proteção pessoal, financeira e patrimonial, membro do MDRT.

O especialista adverte: “Os clientes que querem comprar esse tipo de seguro devem ser criteriosos na escolha do corretor. O profissional deve ser especialista nesse tipo de produto, pois nem todos os corretores estão aptos a oferecer esse serviço”.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta