proteção

A Minuto Seguros acabou de realizar um estudo sobre o valor do seguro dos 10 carros mais vendidos no Brasil em fevereiro, utilizando como base a lista divulgada pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Após iniciar 2021 como o carro mais vendido em janeiro, o Onix, da Chevrolet, também finalizou fevereiro na liderança do ranking com 10.261 unidades comercializadas. Com relação ao preço do seguro do hatch da GM, notou-se uma estabilidade na média geral entre as capitais cotadas para homens e mulheres. Para eles, o valor médio, no levantamento mais recente, foi de R$ 2.127, o que significa R$ 5 a menos em relação ao mês anterior. Para o público feminino, o valor ficou em R$ 1.528, uma queda de R$ 9, ou 0,6%, em comparação ao cotado no primeiro estudo do ano.

O HB20, da Hyundai, manteve a segunda colocação entre os carros mais vendidos do Brasil em fevereiro. Atrás apenas do Onix no primeiro ranking em número de unidades comercializadas, o hatch da marca sul-coreana teve queda no preço médio do seguro para os públicos feminino e masculino. Para os homens, o valor ficou em R$ 2.014, ou seja, 2,4% a menos do que a média das cotações de janeiro. Para as mulheres, a redução foi de 1,8%.

Já o Onix Plus, que manteve a terceira colocação com a qual iniciou 2021, registrou elevação de 4,8% no preço médio para os homens. Em contrapartida, o valor para as mulheres teve redução de 9,2% em relação a janeiro. O destaque vai para a queda acentuada na cotação em três capitais: São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Na cidade paulista, a queda no preço para o público feminino foi de 24%, enquanto no Rio foi de 22,2%. Para as mineiras, o preço do seguro do sedã da Chevrolet diminuiu em 15%.

Argo, Renegade e Tracker têm queda no preço médio do seguro para homens e mulheres; Mobi registra aumento para ambos os públicos

Quarto colocado no ranking dos carros mais vendidos do Brasil em fevereiro, o Argo registrou queda no preço médio do seguro tanto para o perfil masculino quanto para o feminino. O valor para os homens ficou em R$ 1.876, ou seja, 8% menor do que a média das cotações de janeiro. Em São Paulo e Brasília as reduções foram ainda maiores: 13% e 11,5%, respectivamente. Já para as mulheres, o preço médio entre todas as capitais cotadas caiu 1,5%.

Único representante da Jeep entre os 10 carros mais vendidos no segundo mês do ano, o Renegade, sétimo colocado, foi outro modelo cujo preço médio do seguro ficou mais barato em comparação ao mês anterior. No que diz respeito ao perfil masculino, a redução foi de 5,2%, já que os valores passaram de R$ 2.968, em janeiro, para R$ 2.814, em fevereiro. Para o perfil feminino, as cotações saíram de R$ 2.235, no levantamento anterior, para R$ 2.125, no estudo atual, o que representou uma queda de 5%.

Mais uma vez presente no Top 10 dos carros mais vendidos do Brasil, o Tracker fechou o mês na nona colocação. Além de novamente ter entrado no ranking, o terceiro modelo da Chevrolet na lista ainda registrou redução no preço médio do seguro. Para os homens, os valores passaram de R$ 3.207, em janeiro, para R$ 2.876, em fevereiro, uma queda de 10,3%. Já para as mulheres, a média de preço entre as capitais cotadas diminuiu 2%.

Ao contrário do que ocorreu com Argo, Renegade e Tracker, o Mobi, quinto veículo mais vendido no segundo mês do ano, registrou elevação de 2,6% no preço médio do seguro para o público masculino e de 2,8% para o feminino. Chamou atenção o aumento no valor do seguro para os homens em São Paulo, já que a cotação passou de R$ 1.343, em janeiro, para R$ 1.789, em fevereiro, uma diferença de 33,2% na capital paulista.

Na sexta colocação do ranking, o Gol registrou queda acentuada no preço médio do seguro entre as capitais cotadas para o público masculino: 9%. Em contrapartida, para o público feminino houve uma leve elevação no valor, de 1,2%. Já o Kwid, da Renault, registrou estabilidade nos preços médios do seguro para ambos os públicos. Para os homens, o seguro do modelo da montadora francesa ficou R$ 13 mais barato do que o registrado no mês anterior. Para as mulheres, houve um acréscimo de R$ 3 levando em conta o mesmo período.

O T-Cross, que chegou a ocupar a liderança do ranking em agosto de 2020, finalizou fevereiro na oitava colocação. No que diz respeito ao preço médio do seguro, houve redução de 4,7% para os homens e de 2,6% para as mulheres. As quedas foram ainda maiores ao levarmos em conta somente os números no Rio de Janeiro, já que o valor do seguro na capital carioca ficou 10,8% mais barato para o perfil masculino, e 13,8% para o feminino.

Análise do preço do seguro dos mais vendidos

O preço médio do seguro de todos os 10 veículos da lista entre as capitais cotadas em fevereiro foi de R$ 2.268 para os homens, cerca de 13,5% menor do que o registrado em janeiro. Para as mulheres, considerando este quesito, o valor médio foi de R$ 1.717 e representou uma redução de 15% em comparação ao mês anterior.

O valor médio do seguro mais barato para o público masculino, em fevereiro, ficou com o Renault Kwid. No levantamento realizado, os homens pagam R$ 1.782. Enquanto isso, o posto de valor médio do seguro mais alto ficou com o Tracker: R$ 2.876. Para as mulheres, o menor preço médio do seguro registrado em fevereiro também foi o do Kwid: R$ 1.348. O mais caro foi, assim como para o público masculino, o Tracker: R$ 2.454.

Para realizar o estudo, a Minuto Seguros considerou como perfil um condutor homem e uma condutora mulher, de 35 anos, ambos casados. Foram avaliados os preços dos seguros em onze capitais: São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Recife (PE), Goiânia (GO), Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Vitória (ES) e Salvador (BA).

Quem paga menos pelo seguro?

Dentro destes perfis mencionados, o preço do seguro para o Kwid é o que apresenta a menor diferença entre as capitais cotadas para homens. O valor mais alto está em Porto Alegre, com R$ 2.051, e o menor em Florianópolis, por R$ 1.409, uma distância de R$ 642. No contraponto de diferença de valores, ainda citando o público masculino, o Renegade é o que possui a maior diferença entre estados: R$ 2.770. A mais alta no Rio de Janeiro, R$ 4.327, e a menor em Florianópolis, com R$ 1.157. Para os homens, Florianópolis é a cidade com seguro mais barato: todos os carros da lista. Nos seguros com valores mais altos, o Rio de Janeiro é a cidade que detém os maiores preços: sete dos dez veículos. Florianópolis registrou o menor preço entre todos os modelos cotados no perfil masculino: R$ 1.051 para o Argo. O preço médio do seguro para homens, na capital paulista, para os 10 carros mais vendidos é de R$ 2.223. Já no Rio de Janeiro, o valor é de R$ 2.982.

Agora, falando no perfil feminino, o Kwid também é o que apresenta a menor diferença entre as capitais cotadas, com uma diferença de R$ 416, do valor mais alto, que está em Porto Alegre, com R$ 1.488, para o mais baixo, que está em Florianópolis, com R$ 1.072. Em outra comparação, o Tracker ficou com a maior distância de valores: R$ 1.385. O maior no Rio de Janeiro, com R$ 3.108, e o menor em Florianópolis, com R$ 1.723. No âmbito do público feminino, Florianópolis ficou com o posto de cidade com o seguro mais barato: sete dos dez carros. Já os valores maiores estão concentrados em maioria no Rio de Janeiro: sete dos dez veículos cujo seguro tem maior preço ficam na capital carioca. O menor valor entre todos os modelos e capitais cotados no perfil feminino ficou com Florianópolis: R$ 1.072 para o Kwid. O preço médio do seguro em São Paulo, para as mulheres, ficou em R$ 1.712 e no Rio de Janeiro, R$ 2.045.

Tabelas com os valores do seguro 

seguro

Detalhes da cotação

Capitais: São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Recife (PE), Goiânia (GO), Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Vitória (ES) e Salvador (BA).
Seguradoras: Azul, Alfa, Aliro, Allianz, Bradesco, HDI, Itaú, Liberty, Sompo Seguros, Mapfre, Mitsui, Porto Seguro, Tokio Marine, Sulamerica e Zurich.
Perfis: Homem e mulher, 35 anos, casado(a).

* As cotações utilizadas no texto são as de menor valor dentro dos perfis cotados com as seguradoras

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta