mulheres

EXCLUSIVO – Para comemorar o Dia Internacional das Mulheres a Revista Apólice trouxe um olhar feminino sobre o mundo corporativo de seguro na live “Diálogos Apólice: Mulheres Seguras”, que contou com a participação de Marcele Lemos, CEO da Coface; Simone Martins, vice-presidente do Sincor-SP; e Marusia Gomez, CEO da Ikê Assistência. A transmissão ao vivo aconteceu ontem, 9 de março, e a jornalista Kelly Lubiato foi a mediadora do evento.

Apesar das mulheres representarem 55% da mão de obra no mercado segurador, segundo um estudo realizado pela ENS (Escola de Negócios e Seguros) em 2019, elas ocupam um espaço menor em cargos de alto escalão. De acordo com a pesquisa, a cada quatro executivos, há três homens e uma mulher. “Nós precisamos nos esforçar e provar que somos capazes para chegar aos cargos de liderança, pois só assim iremos reverter essa triste realidade. Sinto que muitas vezes há um pouco de falta de confiança, mas se você não acreditar em si mesma, ninguém vai”, disse Marcele.

Segundo a executiva, a pandemia fez com que colaboradoras se sentissem mais desmotivadas e cansadas por causa da dupla jornada. “A mulher cresce exercendo multifunções. Cuida do lar, dos filhos, que agora não estão frequentando a escola presencialmente, e muitas vezes sem a ajuda do parceiro e ou de um auxiliar. Conciliar tudo isso com o trabalho é muito difícil, pois nos cobramos muito e queremos dar o melhor de nós em tudo”. De acordo com o IBGE, as mulheres gastam 3,1 horas a mais por semana com o trabalho, incluindo afazeres domésticos, do que os homens.

Marcele também falou sobre a importância das empresas considerarem que a diversidade é uma boa prática de governança, colocando mulheres, negros e integrantes da comunidade LGBTQ+ em cargos mais altos. “Temos um longo caminho ainda para evoluir, não só no Brasil, mas no mundo todo. Acredito que a inclusão faz uma companhia ser mais criativa e inovadora, pois a partir disso podem surgir novas ideias e assim mais pessoas terão mais acessibilidade a uma apólice de seguro e assistências que as mantenham protegidas”.

Comentando sobre a participação feminina dentro dos sindicatos, Simone afirmou que sente falta do engajamento das mulheres nas entidades que representam o setor. “Ao atuar nos sindicatos e outras organizações, somos capazes de defender os interesses dos corretores de seguros e ajudamos o mercado a evoluir. Entendo que dividir o tempo entre vida pessoal, profissional e atuar nas associações é difícil, mas temos que ter coragem para assumir riscos. No Sincor estamos desenvolvendo projetos para que mais corretoras venham trabalhar conosco”. A vice-presidente do Sincor-SP é a única mulher que faz parte da diretoria.

Marusia ressaltou a importância dos movimentos adotados pela Susep para trazer mais inovação para o mercado, aumentando o número de novos players. Entretanto, a executiva não acredita que deva haver mais seguros segmentados por gênero do que os já disponíveis. “Atualmente ouvimos muito falar na diversidade, e é a partir desse conceito que as seguradoras devem desenvolver novos produtos. A pandemia trouxe muitas mudanças no comportamento do consumidor. Analisar quais são os novos hábitos de consumo, investir em tecnologia para acelerar processos e oferecer benefícios é o que vai fazer o setor crescer”.

Nicole Fraga
Revista Apólice

Deixe uma resposta