capemisa

O ramo de Seguro Residencial na Rede Lojacorr cresceu 16,7% em 2020 na comparação com o ano anterior. O total do segmento chegou a R$ 14,5 milhões em produção no setor. Trata-se de uma oportunidade de negócio para o corretor, pois o usuário do sistema de seguros desconhece, muitas vezes, a real oferta do produto.

O seguro residencial possui diversas coberturas no mercado, entre elas: incêndio, queda de raio, explosão, roubo ou furto de bens, danos elétricos, vendaval e granizo, quebra de vidros, desmoronamento, impacto de veículos ou queda de aeronave, danos a terceiros e também manutenção residencial, com os serviços de hidráulica e elétrica, o que pode ajudar em casos de imóveis alugados, inclusive.

Em 2020, a solução se expandiu ainda mais devido ao trabalho em casa, já que grande parte das empresas, assim como a própria Lojacorr, determinou o trabalho remoto na organização. O que aconteceu em muitas situações foi uma valorização da solução diante de uma maior utilização do bem.

A demanda, inclusive, fez com que muitas companhias repensassem o produto para cuidar do usuário e muitos corretores passaram também a oferecer mais a solução, com o intuito de gerar mais oportunidades de negócios e proteção ao cliente. O usuário também demonstrou maior interesse, já que, estando mais tempo em casa, viu a necessidade de efetuar pequenas reformas, manutenção e garantir a segurança da sua família dentro do lar.

A Bradesco Seguros apresentou produção de quase R$ 5 milhões apenas no residencial pela Lojacorr, com crescimento de mais de 36% no ano. Já a Zurich foi a companhia parceira que mais cresceu nesse produto, com 243% de aumento frente ao ano passado. A Alfa Seguradora também aumentou mais de 40% e a Mitsui Sumitomo expandiu quase 30%. Entretanto, nesse produto existem ainda outras soluções das companhias parceiras: HDI, Liberty, Mapfre, Sancor, Sompo, SulAmérica, Seguros Sura e Tokio Marine.

Empresarial home office

Já no caso do Empresarial, o seguro home office da Tokio Marine cobre danos materiais diretamente causados aos bens de escritórios instalados nas residências (de uso habitual) dos sócios controladores, dirigentes, administradores legais, diretores, superintendentes, gerentes e demais colaboradores do segurado, condicionado, no entanto, a que tais escritórios sejam utilizados em prol do segurado, ainda que eventualmente, e não corresponda a qualquer atividade secundária exercida por aquelas pessoas.

Há pouco mais de cinco meses a HDI Seguros lançou cobertura para empresas que operam em sistema de trabalho home office, já que a pandemia trouxe para muitas empresas a possibilidade de continuação desse regime de trabalho em um cenário pós-Covid-19. Pensando nisso, a companhia disponibilizou uma nova cobertura no seguro Empresarial, dedicada a proteger equipamentos cedidos pelas empresas aos colaboradores que trabalham em casa. A solução foi pensada para cobrir, no endereço dos funcionários em home office, danos ocorridos nos seguintes equipamentos: computadores, laptops, tablets, impressoras, roteadores, modens e mobílias de escritório. Dentre as ocorrências cobertas estão incêndio, queda de raio, explosão acidental, queda de aeronaves, danos elétricos decorrentes de qualquer fenômeno de natureza elétrica, queda e quebra súbita e imprevista, roubo e furto de bens, e vendaval, granizo, furacão, ciclone e tornado.

A seguradora reforçou as coberturas adicionais de Escritório em Residência e de Microempreendedor em Residência no seguro residencial, voltadas à proteção dos bens e equipamentos do cliente dentro de sua casa. A cobertura Escritório em Residência é direcionada a quem trabalha permanentemente em casa, como, por exemplo, influenciadores, advogados e designers gráficos; já com a cobertura adicional para Microempreendedor em Residência, mais de 40 profissionais que têm ocupações independentes, como cabeleireiros, confeiteiros, eletricistas e tatuadores, podem contar com a proteção da HDI para sua casa e respectivos equipamentos utilizados para o exercício de sua função dentro dela.

De acordo com o diretor de Mercado e Operações da Lojacorr, Luiz Longobardi Junior, a busca da empresa é sempre em oferecer o maior leque de possibilidades para que o corretor do ecossistema possa conhecer os produtos para melhor proteger o seu cliente. “Desde novembro, por exemplo, também começamos a oferecer o Multicálculo, que tem ajudado o profissional de seguros parceiro da Rede a conhecer mais sobre o ramo Residencial e ser mais assertivo no foco do cliente”, afirma.

N.F.
Revista Apólice

1 COMENTÁRIO

  1. Como já foi dito por aqui esses caras da Lojacorr são uns marqueteiros de primeira! O residencial deve representar menos de 5% dos prêmios emitidos pelos corretores na rede! Crescer 17% sobre menos de 5% é insignificante. Esses caras tão estagnados no automóvel há anos!

Deixe uma resposta