porto
Celso Damadi

EXCLUSIVO – A Porto Seguro encerrou 2020 com um crescimento de 22,3% (vs. 2019) no lucro líquido, atingindo R$ 1,7 bilhão no ano e R$ 409,2 milhões no trimestre (+10,3% vs. 4T19), resultando em um ROAE de 21,6% em 2020 (+2,3p.p. vs. 2019) e 20,0% no 4T20. O resultado financeiro também cresceu 11,4% no 4T20 (vs. 4T19), decorrente principalmente do desempenho das alocações em renda variável e juros indexados à inflação, compensando a queda da taxa de juros.

O bom desempenho da companhia, que mais uma vez mostrou a solidez de suas operações com aumento nas receitas, mesmo diante dos impactos da pandemia de Covid-19, se deve a estratégia de oferecer experiências relevantes no uso de produtos e serviços, aumentando o alcance da marca e alavancando a transversalidade e o cross selling entre os produtos. Com o desafio de “Ser cada vez mais um Porto Seguro para os clientes”, a empresa, agora em 2021, passa a apresentar seus negócios agrupados em quatro verticais: Seguros, Saúde, Negócios Financeiros e Serviços. Esta visão representa o novo posicionamento estratégico para promover o crescimento de seus negócios, observando as diferentes características dos mercados, o potencial de crescimento de cada segmento e a dinâmica de cada uma dessas verticais.

A carteira de seguro Auto, que está dentro da vertical Seguros, alcançou no 4T20 o maior volume de prêmios de toda série histórica (R$ 2,8 bilhões), por meio de uma expansão de 5,8% em comparação ao mesmo período do ano anterior e com um incremento de 105 mil veículos em relação ao 3T20. De acordo com Celso Damadi, vice-presidente Financeiro, de Controladoria, Investimentos e Relações com Investidores da seguradora, o trabalho de subscrição e aceitação de risco que a companhia vem desenvolvendo na carteira ajudou a conquistar esse resultado. “Acreditamos que vamos continuar crescendo neste segmento, pois iremos investir em produtos mais enxutos e na digitalização do processo para tornar a contratação mais simples. 70% da frota brasileira não conta com seguro, ainda há muito mercado para conquistar”, diz o executivo.

Os prêmios dos seguros Patrimoniais também avançaram e atingiram 11,3% (vs. 4T19) e os prêmios do seguro de Vida permaneceram estáveis (+0,2% vs. 4T19), com desempenho positivo no Vida Individual. Nesta frente de Seguros, os prêmios apresentaram expansão de 6,4% no trimestre (vs. 4T19), impulsionados principalmente pela aceleração dos seguros Auto e Patrimoniais.

Na vertical Saúde, o faturamento aumentou 5,5% em comparação ao 4T19 e 11,3% em relação ao ano de 2019. Os prêmios do seguro Saúde Empresarial evoluíram 6,2% no trimestre (vs. 4T19) e 13,3% em 2020 (vs. 2019), o quarto ano consecutivo de crescimento de prêmios em duplo dígito. O seguro Odontológico apresentou uma expansão de 8,0% nos prêmios anuais (vs. 2019), ultrapassando 630 mil vidas seguradas.

No consolidado de todos os negócios de Seguros (incluindo Saúde), o índice combinado atingiu 94,2% no trimestre (-1,2 p.p. vs. 4T19), decorrente principalmente da redução da sinistralidade do seguro Auto (-8,8 p.p. vs. 4T19), beneficiado pela melhoria na subscrição e precificação de risco. A sinistralidade do Saúde reduziu 3,9 p.p. (vs. 2019), atingindo o menor patamar observado nos últimos 10 anos.

A vertical Negócios Financeiros apresentou aumento nas receitas de 21,1% (vs. 4T19), impulsionado pelo Consórcio (+34,9% vs. 4T19), que registrou aumento no número de cotas e elevação do ticket médio, e pelo crescimento dos Riscos Financeiros (+86,5% vs. 4T19). Nas Operações de Crédito (+3,1% vs. 4T19), destaque para a expansão na base de clientes: a operação de CDC incrementou o número de contratos em 25,5% (vs. 4T19) e o número de Cartões de Crédito atingiu 2,5 milhões de plásticos (+9,7% vs. 2019), com 65% dos clientes fazendo uso do cartão todos os meses. A Carteira de Operações de Crédito encerrou o ano com saldo de R$ 10 bilhões, 24,2% superior em comparação ao final de 2019. O gerenciamento eficaz da carteira de crédito e as ações para mitigação de risco contribuíram para a redução da inadimplência (NPL +90 dias), que atingiu 4,4% ao final do 4T20, apresentando melhora tanto em relação ao 3T20 (-0,8 p.p.) quanto em comparação com o 4T19 (-0,2 p.p.), alcançando um resultado favorável mesmo quando comparado ao período anterior a pandemia.

Na vertical Serviços foi registrado aumento de 22,9% nas receitas do 4T20 (vs. 4T19) e de 22,7% em 2020 (vs. 2019), com destaque para o Carro Fácil que cresceu 36,2% no ano (vs. 2019) e alcançou mais de 7 mil contratos ativos em 2020. A linha de serviços conta também com outros produtos sinérgicos aos negócios da Porto Seguro com potencial de expansão atrativo, como o Porto Cuida, Health for Pet, Porto Faz e Reppara!. “As pessoas, principalmente as que vivem nos grandes centros, tem muita dificuldade de encontrar prestadores de confiança e qualidade. Ao contratar serviços de assistência como os que a seguradora oferece, o cliente tem a garantia de que seu problema será resolvido, ainda mais neste momento em que grande parte da população está dento de casa e usufruindo mais do imóvel”, afirma Damadi.

A Porto Seguro segue confiante na robustez de suas operações e bem posicionada em sua trajetória de crescimento e de entrega de resultados consistentes, por meio de iniciativas que permitirão dar continuidade à ampliação de sua base de clientes, aumento dos ganhos de eficiência operacional, avanço no processo de transformação digital, aprofundamento das práticas ASG e aperfeiçoamento dos modelos de negócio para aproveitar as diversas oportunidades que o mercado oferece.

Em relação às iniciativas ASG, destacam-se a continuidade do programa “Meu Porto Seguro”, já apresentado ao mercado, que contratou 6,1 mil pessoas no 4T20 (atingindo o preenchimento de 8,2 mil postos de trabalho temporários em 2020). Também é importante destacar o investimento de R$ 5 milhões no Fundo WE Ventures, para fomentar o empreendedorismo no Brasil por meio de investimentos em startups de tecnologia lideradas por equipes femininas. Destacam-se também os resultados alcançados em mais um ciclo de investimento social privado ao longo do 4T20, que resultou num investimento de R$ 6,4 milhões que vai beneficiar mais de 34 mil pessoas.

Sobre as expectativas da seguradora para 2021, Damadi ressalta que o principal objetivo da empresa é crescer de forma orgânica e inorgânica, investindo em tecnologia e melhorando a qualidade de atendimento nos canais. “Queremos que os processos fiquem mais leves para corretores e segurados, facilitando a rotina de quem depende de nós. Elaborar uma oferta mais inteligente e investir em aquisições é uma meta para que possamos manter os ótimos resultados que conquistamos ao longo dos anos. 2021 vai ser um ano de muitas novidades no setor!”.

Nicole Fraga
Revista Apólice

* com informações da assessoria de imprensa 

Deixe uma resposta