sincor-sp

O Sincor-SP realizou o 4º Encontro de Lideranças dos Corretores de Seguros de São Paulo na manhã de ontem, 25 de fevereiro, uma reunião das entidades representativas, que mantêm proximidade durante todo o ano pelo Fórum das Entidades, também promovido pelo Sindicato. Pela primeira vez o encontro aconteceu de forma online, em razão da pandemia, mas mantendo a união e alinhamento para juntos os representantes avançarem pelo desenvolvimento do setor.

Participaram mais de 80 pessoas, entre elas o presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo, e sua diretoria executiva e regional, coordenadores de Comissões, e representantes das seguintes entidades: Aconseg-SP, APTS, Câmaracor, CIST, Clube dos Corretores de Seguros de São Paulo, Clube dos Corretores de Seguros do ABC, Clube dos Corretores de Seguros de Osasco, Clube dos Corretores de Seguros da Mata Atlântica, Clube dos Corretores de Seguros de Piracicaba, Clube dos Corretores de Seguros de São José do Rio Preto, Clube dos Corretores de Seguros de Sorocaba, Clube dos Corretores de Seguros do Vale do Paraíba, CVG-SP, Credicor-SP, Ibracor, e UCS. Também houve a participação como convidado especial do presidente da Fenacor, Armando Vergílio.

“Todos os participantes deste encontro têm representação, liderança, responsabilidades sobre o grupo liderado, e são influenciadores dos caminhos do nosso setor”, justificou Camillo. “Desde o início da gestão eu repito a seguinte frase: ‘Nós temos que respeitar diferenças e unir competências’. O mundo não está muito atento a isso, por incrível que pareça a pandemia pouco nos ensinou sobre respeitar as pessoas, suas diferenças, e a tentar unir as virtudes”.

Camillo enfatizou que uma forte liderança é composta por este entrosamento de líderes. “Os desafios só vão se acentuar daqui para a frente, pela própria dinâmica da vida, em qualquer setor e em nossa vida pessoal. Nossas divergências não são para nos afastar, pelo contrário, são para trazer convergência, esse entendimento nos traz força e maturidade necessária para a nossa defesa”.

Helio Opipari Jr, presidente da Aconseg-SP, que reúne 35 assessorias de seguros, ressaltou a importância de andar de mãos dadas pelo objetivo em comum de desenvolver os corretores de seguros. “O mercado de seguros cresceu mesmo no desafiador ano de 2020, e nós assessorias também desfrutamos deste crescimento, assim como nossos corretores representados. Tivemos muitos desafios, movimentação de mercado, mudança de lideranças nas companhias. É uma grande sinalização para nós, entidades, de que nossos parceiros seguradores estão revendo estratégias para os novos tempos e temos que acompanhar isso. Vemos que o Sincor-SP já tem esta visão muito clara, desenvolvendo tecnologias e evoluções para o corretor, e como entidade precisamos ter sinergia entre nós”.

Carlos Cunha, 2º tesoureiro e diretor do Sincor-SP responsável pela Unsincor, aproveitou o gancho e comentou sobre a parceria com a ENS (Escola de Negócios e Seguros), que poderá ser muito importante para a qualificação dos corretores de menor porte ligados às assessorias. Hélio se interessou muito pelo tema. “Não podemos criar agora uma Universidade Aconseg-SP, uma grade de cursos, vocês já fazem isso muito bem, e por isso já estamos conversando na entidade sobre a possibilidade de aproveitar este acordo”, garantiu.

Marcos Kobaiashi, presidente do CVG-SP, disse que chegou na entidade recentemente, atua como segurador, mas com o objetivo em comum de buscar o crescimento do mercado. “Existem lutas conjuntas em que realmente precisamos dar as mãos. A pandemia trouxe o aumento na reflexão sobre proteção de forma geral, mais acentuada no seguro de vida, e com isso vemos o crescimento contínuo na arrecadação desse segmento. Este crescimento atrai novos corretores, e precisamos realmente investir em qualificação desses novos e dos que já atuavam, pois os produtos mudam a cada dia, seja o automóvel ou o vida. O CVG-SP chega com vontade, uma diretoria nova querendo trazer novidades e motivação para este mercado”, disse.

Os diretores executivos atualizaram sobre as realizações de cada uma de suas pastas, áreas pelas quais são responsáveis no Sincor-SP. As lideranças conheceram em primeira mão o novo APP Sincor Digital, em apresentação conduzida por Boris Ber, diretor responsável pela Comunicação, Marco Damiani, diretor responsável pela área de Tecnologia, e participação de representantes da empresa Seggy, que desenvolveu o software. Camillo ressaltou que o Sincor Digital, além de reunir todos os serviços e notícias da entidade na palma da mão do corretor, pode também abrigar conteúdo das demais entidades.

No fechamento do Encontro, o presidente da Fenacor abordou a importância da motivação na união de esforços. “Todos que aqui estão são líderes e exercem este importantíssimo papel na luta conjunta, que nunca foi tão necessária para que possamos vencer os desafios”, comentou Armando Vergílio. “O Sincor-SP tem feito muito em prol dessa junção. O exemplo mais recente é a integração da Unsincor com a ENS, que passam a caminhar juntas para que possamos ter profissionais do mercado melhor preparados. É essa união que temos que buscar, união de ações importantes para vencer todos os desafios, que não são poucos”, apontou.

“Completando agora um ano de pandemia, que assustadoramente mudou nossa vida em todos os aspectos, nós, corretores, que já vínhamos com grandes desafios na profissão, precisamos mais uma vez nos reinventar, e tem dado certo em função desta união. Fenacor e Sincor-SP estão muito unidos, são entidades que se complementam e estão caminhando absolutamente juntas em torno de vários projetos e realizações. E devem continuar, independente das pessoas, as entidades devem ter perenidade e para isso precisam de líderes que possam construir com firmeza essas raízes para que possam seguir adiante trazendo evoluções para nossa profissão”, disse Vergílio.

Respondendo a perguntas dos participantes, o presidente da Fenacor comentou sobre os trabalhos para amenizar os efeitos da Resolução CNSP nº 382, que exige a disponibilização da comissão do corretor ao segurado, cujo texto gera diferentes interpretações sobre a forma de realizar esta disponibilização. A Fenacor recomenda que o corretor apresente ao segurado a comissão (não apenas deixa “disponível” caso peça) durante o fechamento do contrato. Este assunto ainda terá desdobramentos por conta do trabalho das entidades, em busca de beneficiar a relação entre corretor e segurado.

Camillo encerrou dizendo que os corretores seguem enfrentando e vencendo os desafios mais unidos do que nunca. “Existem os pessimistas ou cavaleiros do apocalipse que querem chamar atenção dizendo o contrário, empunhar a bandeira de que o mundo está acabando, de que as entidades do setor não fazem nada, incentivar a desagregação, a criação de outros caminhos tolos e inócuos, conduzidos por pessoas que não têm o interesse que deve ser o das lideranças, que é o de trabalhar por todos”. Para ele, os fatos são contra qualquer argumento: “Vimos o crescimento do mercado de seguros em cenário tão desafiador como 2020 (e que será ainda maior em 2021), o reconhecimento da relevância do produto seguro e do profissional corretor de seguros na sociedade”.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta