Antonio Carlos de Almeida Braga

Faleceu hoje, aos 94 anos, Antônio Carlos de Almeida Braga, em Portugal. O empresário foi uma figura de ponta no desenvolvimento do mercado segurador no Brasil. Inicialmente, administrou a Atlântica Seguros, fundada pelo pai, que depois veio a se tornar Atlântica-Boavista. Na década de 80, a companhia foi incorporada pelo Banco Bradesco, tornando-se a Bradesco Seguros.

Em 1986, os filhos e a ex-mulher de Braga fundaram o Banco Icatu, base de um conglomerado que teve atuação destacada em diversos segmentos, entre eles o seguro. Hoje, o Grupo Icatu tem negócios que abrangem participações em empresas de seguros, administração de recursos financeiros, previdência privada, e capitalização, entre outros.

Várias empresas e entidades, como a Federação das Seguradoras de Seguros Gerais manifestaram notas de pesar. “A partida de “Braguinha”, como era carinhosamente chamado, representa uma perda irreparável por sua contribuição para o desenvolvimento do país. Ele deixou um imenso legado, com atuação de peso nos segmentos financeiro, seguros, incentivo ao esporte e à cultura. Foi um homem movido pelo desafio de fazer mais e melhor. O seu legado não será esquecido”, escreveu a Fenseg.

“A Icatu Seguros lamenta profundamente o falecimento do empresário Antônio Carlos de Almeida Braga, pai dos conselheiros Kati e Luis Antônio de Almeida Braga. Braguinha, como é conhecido, é uma referência para o mercado financeiro e muito contribuiu para a economia e desenvolvimento do país”, lamentou a seguradora.

A CNseg lembrou que “suas marcantes criações no mercado segurador motivaram a CNseg a criar, em 2011, o Prêmio Antonio Carlos de Almeida Braga, que, ao distinguir ações inovadoras de profissionais securitários, corretores de seguros e prestadores de serviços do mercado, faz em sua denominação uma homenagem e importante referência de “Braguinha” para o setor segurador”.

A Camaracor também manifestou-se em nota de pesar.

K.L
Revista Apólice

Deixe uma resposta