alper

O fundo XP Private Equity comprou uma participação minoritária na Pottencial Seguradora, concluindo as negociações que corriam desde julho. O fundo vai investir R$ 275 milhões e os controladores da Pottencial continuarão sendo a família Mattar e o Grupo Ourivio, que pertence à família Géo. A entrada do sócio deve acelerar o crescimento da seguradora na distribuição de produtos para pessoas físicas.

A Pottencial foi criada em 2010, mas já assumiu a liderança em seguro garantia há três anos e vem crescendo no segmento de apólices de equipamentos e riscos de engenharia e, mais recentemente, de fiança locatícia e seguro residencial. Nos últimos anos, a companhia mineira montou um conselho de administração robusto, que é liderado por Zeca Rudge, executivo que fez carreira no Itaú Unibanco na área de seguros e pessoas. Também compõem o conselho Eugênio Mattar, Gustavo Franco, Emilio Carazzai e Carlos Ferreira.

“Conhecia o Zeca de nome, sabemos a carreira que ele construiu no mercado e, quando ele me descreveu o negócio da Pottencial, vimos que tinha tudo a ver com nosso ecossistema”, conta Chu Kong, gestor do fundo da XP. “Não é uma seguradora de perfil tradicional, é uma verdadeira insurtech. Hoje 40% dos 240 funcionários da seguradora são da área de tecnologia e a companhia tem forte base de inteligência artificial e big data.”

Segundo Kong, a Pottencial tem uma avenida de crescimento entre o público pessoa física, que é justamente onde a XP cresceu e é líder na plataforma de investimento. Ele e Rudge destacam também que a companhia tem um perfil de liderança jovem, na faixa dos 30 anos de idade, que dá outro ritmo à expansão. “É uma companhia jovem, que tem apenas dez anos, com uma liderança também jovem, que já se destaca nas modalidades em que atua e que está muito focada em crescimento e em produtos rentáveis”, diz Zeca Rudge.

O fôlego financeiro deve expandir a carteira de produtos e aumentar a capilaridade da seguradora. “Queremos ter um blend das modalidades de pessoa jurídica, onde já atuamos bem, e de pessoa física, onde a XP pode ser um canal alavancador de distribuição”, diz João Géo Neto, de 39 anos, presidente da Pottencial. “Vamos fazer a distribuição de produtos na plataforma da XP, mas como complemento à rede de corretores parceiros que já temos”.

No ano passado, a Pottencial atingiu um total de R$ 605 milhões em prêmios emitidos e R$ 1,5 bilhão em ativos totais.

O fundo de private equity da XP, captado em fevereiro, levantou R$ 1,3 bilhão e já investiu em empresas como a Botoclinic, maior rede de estética especializada em harmonização facial do país, na marca de maquiagens Beyoung e no hospital de oftalmologia CBV.

* Fonte: Valor Econômico

Deixe uma resposta