seguros

A Generali divulgou hoje, 13 de novembro, o balanço comercial da companhia. O lucro líquido foi afetado por problemas em investimentos e despesas não recorrentes, incluindo gestão de passivos.

O resultado operacional subiu para 4 bilhões de Euros graças ao desenvolvimento positivo dos segmentos de P&C e de Gestão de Ativos, também apoiado por recentes aquisições, bem como da Holding em outros segmentos de negócio.

A excelência técnica foi confirmada com uma relação combinada de 89.7% (-2.8 pps) e nova margem de negócios alcançou excelentes níveis (4.10%; -0.18 pps). O total de prêmios subscritos alcançou 52 bilhões de Euros (+0.3%), com prêmios resilientes de P&C e um desenvolvimento positivo do segmento de Vida (+0.4%). As entradas de Vida permanecem sólidas em 9.3 bilhões de Euros (-13%) e as provisões técnicas de Vida aumentaram para 376.3 bilhões de euros (+1.9%).

A posição de capital do Grupo foi fortalecida tendo um Coeficiente de Solvência II em 203% (+9 pps HY20).

O lucro líquido do Grupo foi de 1,297 milhões de Euros (-40%), afetado por 310 milhões de Euros por dificuldades de investimentos relacionadas ao desenvolvimento do mercado financeiro, 183 milhões de Euros para o acordo de arbitragem às vendas BSI, contribuição de 100 milhões de Euros(2) para o Fundo Extraordinário Internacional para a emergência da pandemia e 73 milhões de euros em despesas da transação de gestão de passivos. Excluindo as despesas do Fundo Extraordinário Internacional para a COVID-19 e a despesa da transação da gestão de passivos, o lucro líquido ajustado(3) alcançou 1,629 milhões de Euros (-13%).

O CFO do Grupo Generali, Cristiano Borean, afirma que “os resultados dos primeiros nove meses continuam a mostrar a resiliência da companhia, conforme evidenciado pelas excelentes margens técnicas, apoiando o resultado operacional e a posição de capital. Em um ambiente que continua a ser caracterizado pelo pesado impacto macroeconômico e financeiro advindo da pandemia, o Grupo confirma suas forças baseado em uma posição de liderança na Europa e um modelo de negócios diversificado, flexível e focado, principalmente, no varejo. A Generali continua comprometida em ser Parceira para Toda a Vida de seus clientes, através de iniciativas específicas de ajuda e assistência, bem como apoio às comunidades onde opera por meio de iniciativas que incluem o Fundo Extraordinário Internacional para a Covid-19”.

1 – Mudanças em prêmios, lucros líquidos de Vida e de PVNBP (valor presente de prêmios de novos negócios) foram apresentados em termos equivalentes (taxas de câmbio constantes e escopo de consolidação). Mudanças nos resultados operacionais, investimentos próprios e provisões técnicas de Vida excluem ativos alienados durante o mesmo período de comparação.

2 – Esse montante, líquido de impostos, foi de 77 milhões de Euros.

3 – Os ajustes dos lucros líquidos não incluem o impacto dos ganhos e perdas sobre alienação, contando -183 milhões de Euros no 9M20, resultado do contrato de venda do BSI (475 milhões 9M19, relacionado à venda Generali Leben e aos negócios belgas).

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta