A união do seguro com o esporte olímpico em prol da educação e de causas sociais. Este é o propósito da parceria firmada entre a ENS e o Clube de Regatas do Flamengo na manhã da última terça-feira, 3 de novembro. Em coletiva de anúncio promovida na sede do clube, no Rio de Janeiro (RJ), executivos das duas instituições revelaram detalhes do acordo, que visa promover o desenvolvimento de novos talentos para a equipe de natação e auxiliar atletas olímpicos do Flamengo.

A mesa foi composta pelos dirigentes da ENS, Tarcísio Godoy (diretor geral) e Mario Pinto (diretor de Ensino Superior); e do Flamengo, Delano Franco (vice-presidente de Esportes Olímpicos) e Marcelo Vido (diretor executivo da Pasta).

Pelo acordo, o rubro-negro poderá oferecer a atletas olímpicos que vivem em áreas vulneráveis cerca de 110 bolsas de estudo integrais em cursos de graduação e de MBA da Escola. “Atualmente contamos com aproximadamente 800 atletas nessas modalidades, sendo que 44% deles são oriundos de regiões carentes”, afirmou Franco.

O dirigente ressaltou que o esporte é um funil muito fino. “Apenas uma pequena parcela dessas pessoas vai conseguir viver do esporte. Dessa forma, o que oferecemos é, além da disciplina e da vivência no clube, a capacidade de ajudar do ponto de visto educacional. Por isso a parceria é muito bem-vinda. A ENS é uma instituição de renome e estamos muito felizes por ela estar ao nosso lado neste momento”.

Esporte e educação para salvar vidas

A Escola, por sua vez, assume os naming rights da equipe de natação do clube, que passa a se chamar Equipe de Natação Flamengo ENS. “Isso é muito importante porque queremos investir nos nossos esportes aquáticos de uma forma sustentável”, destacou Franco.

Excelência, intensidade e alta performance. É dessa forma que o diretor geral da ENS, Tarcísio Godoy, reconhece o desempenho dos atletas olímpicos do clube rubro-negro. “O Flamengo é uma marca mundial. Então ao atrelar a marca da ENS com uma marca de excelência, temos a certeza de que será um exemplo para que outras pessoas consigam entender que praticar esportes e estudar pode ser uma transformação social”, ressaltou o diretor.

“Trazemos nessa parceria a possibilidade de oferecer aos atletas uma titulação de ensino superior, com a Graduação Tecnológica em Gestão de Seguros, e, ao final deste diploma, esses formandos ainda podem se tornar corretores de seguros”, explicou Godoy.

Segundo Mario, a parceria contempla duas dimensões essenciais para a sociedade: educação e esporte. “Essa mescla salva vidas. A vida profissional de um atleta é muito curta e poucos são os que se preparam para ter uma outra profissão. A ideia da Escola não é apenas ensinar, mas fazer a transformação social. Estamos criando condições para que essas pessoas se instrumentalizem e possam disputar o mercado de trabalho. É uma iniciativa que deveria ser seguida por todos os clubes, todos os esportes e todas as instituições de ensino”.

Investimento no social

Para Vido, a ENS vem muito ao encontro do que o clube acredita em termos de formação plena do atleta. “Quando um atleta tem uma base educacional sempre em desenvolvimento, a performance esportiva também melhora”.

Ele destacou ainda que o objetivo do Clube é antecipar a transição do atleta e conciliar alta performance com a inserção sócio laboral, modelo semelhante ao praticado na Europa. “Essa é uma oportunidade de continuar buscando suas marcas pessoais em nível mundial e olímpico, se formar e, durante esse período, buscar o mercado de trabalho. Dá para ter esse equilíbrio entre trabalho e alta performance. É assim o modelo europeu e funciona muito bem, conseguindo equilibrar esportes e estudos”.

Franco ressaltou ainda que as empresas estão cada vez mais preocupadas com questões sociais. “Não se trata apenas de um perfil, mas é uma obrigação do Flamengo, pelo alcance social e pela capacidade de movimentar massas, ter uma participação social crescente. Temos um critério muito grande para escolher com quem vamos juntar os nomes dos nossos times. Sejam bem-vindos e vamos caminhar juntos nessa parceria, que será muito frutífera”, finalizou o vice-presidente.

Para o presidente da ENS, Robert Bittar, a união com o maior clube poliesportivo do País trará inúmeros benefícios à instituição, que poderá promover uma importante aproximação com os milhões de seguidores das redes sociais do Flamengo. Além disso, a parceria é um reconhecimento da Escola à nobreza e aos valores praticados nos esportes olímpicos. “Estamos nos inserindo em um relevante programa social que qualificará, para o mercado de trabalho, jovens que poderiam ter dificuldade de dar continuidade aos estudos fora da rede pública. Só esta condição já justifica a parceria”, finaliza.

O evento transmitido ao vivo pela Fla TV e pelo canal da ENS no YouTube contou com a presença de atletas das modalidades aquáticas rubro-negras. Pela Escola, compareceram ainda a diretora de Ensino Técnico, Maria Helena Monteiro; o superintendente de Tecnologia da Informação, Luiz Mattua; e gestores das áreas Comercial, de Comunicação e de Publicidade.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta