A Amil recebeu no dia 9 de novembro a renovação do Selo Empresa Amiga da Justiça e Parceiro Institucional do Programa Empresa Amiga da Justiça de 2020, concedido pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP). O certificado é atribuído às companhias que contribuem para a disseminação da cultura de pacificação social por meio da utilização de métodos opcionais de solução de conflitos, como a mediação e a conciliação, buscando a melhoria da comunicação com os seus clientes, evitando, assim, a excessiva judicialização. Em 2020, as empresas participantes do programa realizaram mais de 838 mil acordos.

Em 2017 a operadora se tornou o primeiro plano de saúde do Brasil a receber o selo do TJSP, pela parceria constante em projetos de conciliação. Em 2019 a empresa alinhou 5.531 acordos. Este ano, até o mês de setembro, foram celebrados 2.631 acordos, a maior parte deles de forma remota. A companhia já realizava conciliações online antes mesmo da pandemia da Covid-19, através de uma plataforma virtual, o que deu suporte à sequência do trabalho no período de afastamento social.

“Esse reconhecimento nos gratifica muito, pois nosso objetivo principal é resgatar a satisfação do cliente com a empresa. Essa prática reduz o volume de judicialização, o que nos permite focar nas ações judiciais em que devemos defender as práticas adotadas pela empresa”, afirma Daniela Wanderley, diretora de Contencioso Cível do UnitedHealth Group Brasil, grupo de saúde ao qual a Amil integra.

O trabalho contínuo de conciliação realizado pela operadora culminou em reconhecimentos também por outros tribunais e instituições. Alguns exemplos são o Selo de Qualidade do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) e o Selo Ouro, outorgado pelo Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) e pelo Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc). A Amil também foi premiada pelo Conselho Nacional de Justiça, em fevereiro de 2018, com uma menção honrosa do Prêmio Conciliar é Legal, que reconhece nacionalmente boas práticas de soluções de conflitos.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta