Com o objetivo de diminuir a incidência de fraudes no seguro de automóvel, a Mitsui Sumitomo se aliou à insurtech Shift Technology, empresa detentora do sistema Force que se utiliza inteligência artificial e machine learning para atuar na área. Foi desse tema que tratou a webinar da qual as duas companhias participaram na última terça-feira, 06 de outubro. Estiveram presentes Daniel Barbosa, cientista de Dados da insurtech, e Marcos Akimoto, Superintendente de Sinistros da seguradora.

A companhia foi a primeira cliente brasileira da Shift, que foi fundada em Paris, na França, em 2014, e é composta por centenas de cientistas de dados, consultores de sucesso para os clientes e gerentes de projeto dedicados aos seguros. “Foi um trabalho muito bem conduzido por todos: a área de Tecnologia e Prevenção de Perdas da seguradora e o pessoal da Shift, que em seis meses contados começamos a rodar os sinistros na ferramenta. Nosso fluxo seguiu muito bem e desde o início, nosso sistema nunca parou”, afirmou Akimoto.

Hoje, 100% dos avisos de sinistros de automóvel da seguradora passam pela análise do sistema Force. O aviso é captado no call center e passa pelo sistema, que avalia as regras, os chamados cenários. Se algum for relevante, será gerado um alerta e ele será tratado pela área de prevenção de perdas.

A parceria com a insurtech no combate às fraudes rendeu à companhia um prêmio internacional, o President Award. “A parceria nos rendeu frutos. Agradecemos a Shift por nos ajudar e apoiar. Que a gente possa ficar cada mais mais fortalecido, queremos nos manter preparados para enfrentar as necessidades do futuro”, disse Akimoto.

Impactos

A Covid-19 impactou, de forma direta, a quantidade de fraudes identificadas no ramo do seguro de automóvel. “Nesse período foram identificados queda de sinistralidade; recessão, queda do PIB; bolsa de valores com queda de 40%; maiores exigências de poupanças e rentabilidade; aumento de famílias endividadas, queda de 50,5% na venda e fabricação de Carros, além de um aumento de mais de 125% de pesquisas online sobre como causar incêndios”, disse Barbosa.

“É um período de muita aprendizagem e observamos que nós não identificamos novas práticas de fraudes, que são os casos clássicos e conhecidos pelo mercado, mas o que a gente percebe é o aumento de tentativas de fraude por clientes que estão fazendo isso por questões financeiras, ele é um fraudador esporádico, oportunista”, avaliou Akmimoto sobre o cenário apresentado por Barbosa.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta