A Porto Seguro realizou ontem, 6 de outubro, uma live no instagram @CorretorÉPraSempre com a participação de Sérgio Mendonça, diretor comercial da companhia, e Paulo Calderón, diretor do Porto Seguro Consórcio. Desta vez, tratou-se sobre consórcio sustentável, consórcio de imóvel e oportunidades de mercado.

De acordo com os executivos, o parceiro precisa ofertar cada vez mais a opção de consórcio para seu cliente. ”Fico imaginando um segurado que comprou sua casa própria através do estímulo de um corretor. Ele será grato a ele até o fim da vida. O cliente valoriza o corretor que oferece outros produtos”, afirmou Mendonça. “O corretor está sempre muito ocupado com o automóvel, mas ele não pode deixar de oferecer esse produto. Tenho certeza que essa semana há um cliente que está procurando esse serviço financeiro maravilhoso que é o consórcio, mas não sabe que seu corretor vende”, continuou.

Mendonça também lembrou que, nesses casos, é muito importante que o parceiro melhore sua abordagem quando for oferecer esse produto. “Se você pegar a pergunta chave e abre para uma oportunidade de oferta, aumenta a possibilidade de venda. Se o cliente demonstrar e você não conhecer o produto com profundidade, procure nossos consultores, eles vão te dar uma mão nessa parte da venda. Sua abordagem é fundamental nesses casos”.

Calderón, que está na companhia há pouco tempo, confessou estar surpreso com a força dos corretores de seguros. “Estou bem impressionado com a força desse canal e estou dizendo isso porque o maior banco do Brasil tem uma quantidade de agências em quase todos os municípios brasileiros e nós aqui, em nosso grupo, temos cinco, seis vezes mais. Nossa capilaridade é ainda maior, mas com uma relação de parceria, de construção”.

O executivo também elencou quais os desafios para o mercado de consórcio para o ano que vem. “Estreitar ainda mais o relacionamento com o corretor, desenvolver produtos, entender a demanda do consumidor da ponta e melhorar a eficiência operacional”.

O produto de consórcio sustentável também tem se mostrado uma oportunidade para o corretor investir e oferecer. “Todos podem comprar, aliás, isso é uma coisa interessante, já vi pessoas comprando como investimento, não apenas como para o uso. É um produto que permeia toda sociedade. Não tínhamos quase nada em 2015, 2016, e só esse ano 150 mil residências vão adquirir o produto de energia solar”, disse Calderón.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta