Ao trabalhar em dois importantes segmentos da economia, o de construção civil e agronegócio, a AIG vê sua mais recente linha de Seguros para equipamentos (RD Equipamentos e Seguro Benfeitoria) crescer a índices positivos ano a ano e agora trabalha na diversificação: cobertura para equipamentos médico-hospitalares e estéticos.
“Na nossa operação, conseguimos cobrir equipamentos móveis de grande porte voltados a diferentes segmentos. Estamos nos especializando cada vez mais e aproveitando as oportunidades e demandas do mercado para trabalhar com corretores especializados nesses segmentos e, em breve, e ampliar nosso canal para oferecer nossos produtos a diferentes regiões e parceiros”, conta Martin Molla, líder da área de Transportes e Equipamentos da seguradora.

Os seguros RD Equipamentos e Benfeitoria registraram crescimento da ordem de 88% no seu primeiro ano de operação (2018). Ano passado, superou a marca de 100% de prêmios emitidos e, só neste primeiro semestre, já superou em 70% o mesmo período de 2019. O bom momento dos seguros RD Equipamentos/Seguro Benfeitoria se deve, principalmente, à retomada, ainda que gradual, do setor de construção civil e às operações crescentes do setor agro, sempre mais resiliente à estagnação econômica.
“Temos visto uma demanda interessante de frotas para o setor de construção e aproveitado parcerias estratégicas com os corretores para compartilhar condições diferenciadas. Outro destaque da nossa operação é a cobertura para equipamentos de grande porte em clínicas e hospitais, como aparelhos de ultrassom e ressonância”, afirma o executivo.

Principais estratégias

Procurado para cobertura contra incêndio, queda (tombos) e outros danos, o Seguro de RD Equipamentos da seguradora tem ganhado mercado graças a parcerias estratégicas com corretores e fabricantes. “Desde o ano passado temos feito treinamentos constantes, presencial e virtualmente, para divulgação do seguro e nossos diferenciais aos corretores, bem como para compartilhar dicas simples que podem auxiliar o cliente a diminuir a exposição ao risco e proteger seu patrimônio”, completa Molla.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta