EXCLUSIVO – A campanha “Setembro amarelo” marca a prevenção a um problema de saúde mundial considerado grave: o suicídio. A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) afirma que o suicídio é responsável por uma morte a cada 40 segundos no mundo e é a segunda principal causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos de idade.

Com a pandemia ocasionada pela covid-19, o número de episódios de transtornos mentais aumentou. Um estudo feito pelo Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) apontou que os casos de depressão praticamente dobraram desde o início da quarentena. Entre março e abril, dados coletados online indicaram que o percentual de pessoas atingidas pela doença saltou de 4,2% para 8%.

Os transtornos mentais e emocionais são a segunda causa de afastamento do trabalho. Nos últimos dez anos, a concessão de auxílio-doença acidentário devido a essas doenças avançaram em quase em 20 vezes, segundo o Ministério da Previdência Social. Com a importância do cuidado com a saúde mental em evidência nos últimos tempos, diversas empresas estão investindo em programas para auxiliarem seus colaboradores ou clientes.

Um programa de qualidade da saúde mental é um conjunto de ações que visa cuidar do psicológico dos funcionários, aumentando a qualidade de vida no trabalho. Por meio de medidas de prevenção, identificação, apoio e reabilitação, diversas organizações reduzem o nível de estresse na equipe e também o risco de desenvolvimento de diversos transtornos.

A CarePlus desenvolveu o Mental Health, um programa cujo objetivo é atender as necessidades dos colaboradores e beneficiários das empresas, que contam com assistência individualizada e garantia de sigilo e confidencialidade. A pessoa interessada deve se inscrever pelo telefone e é atendida por uma equipe de psicólogos especialistas, que estão disponíveis 24 horas/ 7 dias por semana.

Segundo Melina Cury Haddad, coordenadora de Psicologia da companhia, “é preciso falar abertamente sobre o tema, sem medos ou tabus. Também é necessário educar e alertar sobre a frequência do problema, ensinar as pessoas a reconhecer os sintomas e incentivar a procurar ajuda. Tudo isso são maneiras de conscientizar a população e essas medidas, aliadas à oferta de serviços de saúde e ao acesso facilitado, podem contribuir para melhorar essa triste realidade”.

Na Sharecare o Programa de Saúde Mental é voltado para funcionários e dependentes de empresas ou entidades público-privadas, segurados ou membros de operadoras de saúde e cidadãos das regiões atendidas pela organização. O foco é mapear os principais riscos em saúde mental da população, tais como: estresse, ansiedade, depressão, Burnout e outros transtornos que afetam a saúde e bem-estar das pessoas. Este mapeamento é disponibilizado através de ferramentas digitais para toda a população e a companhia oferece teleconsultas com psicólogos, podendo incluir os medicamentos necessários para facilitar a adesão ao tratamento determinado.

De acordo com Nicolas Toth, CEO da empresa, “as companhias desempenham um papel importante para melhorar a saúde mental de seus funcionários (e de seus dependentes). Diversas ações podem ser implementadas, dependendo do momento da organização e seus objetivos estratégicos de curto, médio ou longo prazo, além da capacidade de investimento em programas desse tipo”.

Desde 2015, a Omint aplica o Programa de Saúde Emocional nas companhias parceiras, apoiando os RH’s a propagarem a prevenção da saúde mental aos seus colaboradores por meio do processo de fortalecimento da saúde emocional, da conscientização dos fatores e níveis de estresse na vida dos participantes e, principalmente, sobre como combatê-los.  Além disso, o Núcleo de Saúde e Prevenção (NUSP) da seguradora disponibiliza para as empresas clientes encontros virtuais com dicas e ações preventivas. Ao todo, mais de 60 organizações participaram e 4.000 pessoas foram impactadas pela ação.

Para o Dr. Marcos Loreto, diretor Médico Técnico da seguradora, por meio de um posicionamento mais ativo da área de Recursos Humanos, “é possível agir para evitar situações como tratamento mal conduzido ou mesmo feito às escondidas, pedidos de demissão e até atitudes deliberadas que a pessoa possa vir a tomar”. Wagner Nascimento, gerente de Credenciamento e Prevenção da empresa, complementa afirmando que “saúde é um conjunto de atributos físicos, mentais e sociais. Buscamos desmistificar esse assunto dentro das corporações, mostrando o quanto ele impacta diretamente na produtividade e bem-estar de todos”.

Leia mais: Seguro de vida: como fica a indenização em caso de suicídio?

A Seguros Unimed também aderiu a essa tendência e passou a oferecer teleatendimento psicológico aos seus beneficiários de todo o país. O serviço faz parte das ações da companhia para dar continuidade aos atendimentos durante a pandemia de covid-19, e está ancorado na estratégia de aceleração digital. A vídeo-consulta pode ser agendada pelo aplicativo da seguradora, garantindo acompanhamento psicológico de forma segura e sem sair de casa.

Segundo Luis Fernando Rolim Sampaio, superintendente de Provimento de Saúde, Vida, Previdência e RE da empresa, “o bem-estar emocional é fundamental para o engajamento dos colaboradores, para que possam aderir às medidas de segurança e lidar, com tranquilidade, com a nova rotina de cuidados. Manter o contato próximo e monitorar a jornada de seus funcionários e beneficiários são fundamentais para o desenvolvimento de programas que atendam às necessidades de saúde”.

Nicole Fraga
Revista Apólice

Deixe uma resposta