Os efeitos do isolamento, das preocupações financeiras, o excesso de trabalho e medo de contrair a Covid-19 já se refletem no número de pessoas que procuram atendimento para tratar de sintomas de depressão, ansiedade, transtorno de pânico e burnout. Um levantamento da SulAmérica mostra que a procura pelo programa Única Mente, focado em saúde mental, aumentou 28% de abril a junho, em comparação aos meses de janeiro, fevereiro e março. Ansiedade e depressão são as patologias mais frequentes entre os beneficiários acompanhados.

A pesquisa também aponta que os meses de maio, junho e julho foram os que apresentaram maior número de consultas dentro do programa: houve um aumento de 48% nos atendimentos de psiquiatria e psicologia em relação aos meses de fevereiro, março e abril.

“A pandemia mostrou que saúde não é só uma questão física, mas também financeira e emocional. A falta de perspectivas, a impossibilidade de fazer planos e o afastamento social colocou luz em questões muitas vezes negligenciadas, mas que agora precisam ser resolvidas”, afirma Tereza Veloso, diretora técnica Médica e Rede Credenciada da seguradora.

Um dado importante nesse cenário foi a autorização do exercício da telemedicina durante a pandemia, ampliando o acesso à saúde. Na companhia as consultas psiquiátricas já chegam à 6.000, desde o início de março, quando o Saúde na Tela foi disponibilizado aos beneficiários.

Além disso, desde 2018 a empresa oferece Psicológo na Tela, serviço de psicoterapia por videochamada, de forma imediata ou agendada, diretamente pelo aplicativo SulAmérica Saúde, que soma mais de 35.000 consultas. Para ser atendido, o paciente precisa enviar uma foto do pedido médico pelo próprio aplicativo e aguardar a autorização. Na sequência, o beneficiário poderá, então, agendar a sessão com os psicólogos disponíveis, com a opção de acompanhamento contínuo com o mesmo profissional se desejar.

Tratamento individualizado

Única Mente é uma iniciativa SulAmérica focada em prevenção, diagnose, tratamento e reabilitação de beneficiários com depressão, ansiedade, transtorno de pânico, burnout e estresse pós-traumático.

O propósito é garantir a individualização das medidas terapêuticas, de acordo com as singularidades e as necessidades de cada caso, viabilizando o acesso e a qualidade do tratamento, assim como o acompanhamento da sua execução em todas as fases.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta