13/08/2022

Produto da pandemia, o seguro automóvel cai até 27% no último semestre

A chegada da Covid-19 veio modificar regras de comercialização de produtos e serviços em muitos setores da economia. No caso dos seguros de carro, uma das consequências se reflete na queda geral dos preços das apólices. A preocupação aparece já que, mesmo com a baixa no custo, só neste ano, no período compreendido entre janeiro e abril o lucro ingressado nas companhias por causa de contratantes de coberturas caiu em mais de R$ 1 bilhão. Isto se deve a diminuição do volume de vendas.

De acordo com o levantamento efetuado pela ThinkSeg o preço do seguro para veículos desceu entre 11% e 27% se comparados com os valores publicados em julho de 2019. A variação do preço de cada cobertura depende do modelo de carro analisado assim como outros fatores. Neste caso a pesquisa estudou as mudanças das apólices de cinco modelos, todos eles 2020: Ka, Gol, HB20, Onix e Polo. O levantamento foi feito em grandes cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Fortaleza e Brasília e baseado num perfil de segurado homem ou mulher de 35 anos, casados, dirigindo o carro 20 km por dia e guardando o carro numa garagem. 

Ao procurar os fatores que possam explicar este fenómeno, se destaca a forte diminuição de até 40% nas vendas de carros no primeiro semestre se  comparado com o ano passado. Os números parecem estar melhorando mas ainda são negativos: as vendas de julho continuam sendo 28% menores do que as do mesmo mês de 2019. Contrário as estimações de crescimento do mercado de 10% -feitas no começo de ano- atualmente a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores projeta uma queda anual nas vendas de veículos novos de 36,4%.

Mais um fator influente é o caso das pessoas estarem postergando a contratação de seguros com vigência de um ano por causa das flutuações e falta de certezas próprias da atual pandemia. 

Na comparação da variação de preços das apólices nos diversos modelos, aquele que mais caiu foi o Hyundai HB20 variando um 14% para mulheres e 27% para homens. O VolksWagen Gol ficou em segundo lugar com diminuição de 18% para o sexo feminino e 24% para o masculino. Um caso diverso foi o do Chevrolet Onix, que apresentou uma alta de 3% na cobertura para mulheres ainda que para homens.

A prevenção pode favorecer o aumento nas vendas 

Pode parecer irônico, mas a própria pandemia que é reconhecida como um dos fatores fundamentais na diminuição das contratações por parte das seguradoras, poderia acabar trazendo a esperança para elas. 

De acordo com a edição n° 26 da publicação Conjuntura da Confederação Nacional das Empresas de Seguros (CNseg), é importante levar em conta as variações que vão se produzindo na forma preferencial de deslocamento dos cidadãos com a flexibilização das regras de mobilidade. Concretamente, na escolha de carro versus transporte público, a opção pelo veículo privado vem registrando resultados crescentes na procura de preservar a saúde pessoal perante os riscos de contágio de Covid-19. Segundo a análise, se a tendência se concretizar, estaria ocorrendo proximamente um aumento na venda de carros com o consequente impacto positivo no setor dos seguros automotor para o final do ano.

K.L.
Revista Apólice