No Dia Nacional do Trânsito, 25 de setembro, sob o tema ‘Perceba o risco, proteja a vida’, a Seguradora Líder, administradora do consórcio que gere o Seguro DPVAT, traz um levantamento com projeções de acidentes até o final de 2020. O estudo prevê uma queda de 19% no número de ocorrências em todo o país, considerando o período de isolamento social por conta da pandemia da Covid-19. A estimativa é que 229.646 vítimas sejam indenizadas pelo seguro em acidentes ocorridos neste ano. Todos os dados estatísticos agora estão disponíveis em um painel online para consulta pública.

Apesar da redução, segundo dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DataSUS), o Brasil permanece com uma média de 30 mil mortes causadas por acidentes e cumpriu, até 2019, 30% da meta da Década de Ação pela Segurança no Trânsito da Organização das Nações Unidas (ONU). Com o acordo, esperava-se que até 2020 houvesse uma redução de 50% no número de mortes. Segundo o Departamento, em nove anos o Brasil saiu da marca de 43.256 mil mortos no trânsito em 2011 para 30.371 mil mortos em 2019.

Do total de ocorrências previstas pelo estudo até o final de dezembro, 143.842 estão relacionadas a coberturas por invalidez permanente, 56.408 a indenizações para despesas médicas e 29.396 a casos de morte. Os motoristas lideram o ranking das vítimas com participação em 144.225 das ocorrências, 62% do total. Já quando considerada a faixa etária mais sujeita a acidentes de trânsito, pessoas com idades entre 25 a 34 anos são as principais vítimas, presentes em 61.602 das ocorrências, 27% do universo projetado para este ano.

Quanto ao perfil dos veículos, as motocicletas seguirão sendo as responsáveis pela maior parte dos acidentes indenizados. A previsão é que 180.597 vítimas recebam o Seguro DPVAT por conta de ocorrências envolvendo motos, ou seja, 79% do total. Na média por 100 mil habitantes, das 14 mortes registradas por ano, sete são causadas pelo veículo.

Ao observar o mapa do Brasil em 2020, São Paulo (29.477), Minas Gerais (28.107), Santa Catarina (16.938) e Goiás (13.401) são os estados com previsão de maior quantidade de acidentes de trânsito a serem indenizados pelo seguro.

As maiores reduções de acidentes destacam-se nos estados do Ceará (35% de redução), Maranhão (37%), Sergipe (38%) e Acre (38%).

A diretora de Controladoria e Finanças da Seguradora Líder, Maria Valins, explica o estudo. “Para chegar a esses números, utilizamos a nossa base histórica de pagamentos do seguro e projetamos a quantidade de acidentes que terão direito à indenização, utilizando metodologia estatística capaz de captar padrões e adotada amplamente pelo mercado segurador. O que chama a atenção é que, mesmo no período de pandemia, o cenário do trânsito no país ainda é muito preocupante”, afirma ela.

Além disso, no levantamento, foi considerado o fato de que o beneficiário do DPVAT possui até três anos após o acidente para dar entrada no pedido de indenização. O estudo também leva em consideração variáveis externas como as políticas públicas de prevenção e educação no trânsito.

Painel de acidentes

A partir de agora a Seguradora Líder disponibiliza, para consulta pública, os dados estatísticos do DPVAT em um painel inédito, com os acidentes já indenizados e os projetados até o fim de 2020. A área contempla a quantidade dos acidentes registrados no Brasil entre os anos de 2010 e 2020 e o cruzamento desses números por categoria, cobertura indenizada do Seguro, região do Brasil e Estado. Os registros de acidentes por faixa etária e por dias da semana também podem ser consultados, além do cruzamento dos acidentes de trânsito com a população brasileira. O objetivo é que os dados sejam usados para a construção de políticas públicas, que garantam a segurança dos motoristas, passageiros e pedestres.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta