EXCLUSIVO – A pandemia provocou transformações em diversos setores e um deles foi o Turismo. As pessoas estão passando por mudanças em seus hábitos de consumo, inclusive na hora de viajar. A população irá priorizar segurança e tranquilidade no “novo normal” para aproveitar momentos de lazer, por isso o seguro viagem deve estar entre os itens fundamentais na lista de quem irá ficar por um tempo fora de casa, até mesmo em destinos nacionais.

Com a flexibilização da quarentena em grande parte do País, muitos brasileiros voltaram a programar suas férias ou realizar as viagens que tinham adiado. Nos últimos três meses, a April Brasil registrou um aumento na procura por seguro para viagens nacionais. Foi a primeira vez que a seguradora quebrou a barreira dos 30% em vendas do segmento. Só em julho, as vendas do produto alcançaram o índice de 34% do total dos bilhetes emitidos. A meta da companhia é chegar ao fim de 2020 com mais de 40%.

De acordo com Cláudia Brito, head comercial da seguradora, “a importância da aplicação de novos protocolos de saúde, que deverão transmitir maior segurança para o viajante, é mais certa do que nunca. No caso do seguro viagem, esta necessidade fica ainda mais evidente”. A empresa também implementou novas coberturas na apólice, como o serviço de Atendimento Psicológico e Telemedicina, visando que o segurado tenha um suporte mais completo e um seguro que atenda a suas necessidades.

Pensando em ajudar os agentes e corretores a fecharem mais negócios, a companhia elaborou um manual de vendas voltado para o seguro viagem nacional. Nele, são destacados alguns tópicos como a conscientização da importância do produto, o foco nos diferenciais da apólice e os serviços oferecidos. “Em nossos materiais de comunicação, sempre divulgamos os testemunhos de segurados que precisaram de atendimento durante suas viagens. Esta é uma forma das pessoas perceberem os benefícios de viajar protegidas e se manterem informadas sobre os motivos em que o seguro pode ser acionado”, diz Cláudia.

Na Assist Card, mais de 70% dos planos vendidos entre abril e agosto foram para brasileiros que já estavam no exterior. Segundo Alexandre Camargo, country manager da empresa, isso demonstra que muitos destes passageiros iniciaram viagem sem seguro e, com o começo da pandemia, perceberam que não poderiam viajar pelo mundo sem uma proteção médica. “Esta consciência, porém, não se aplica apenas aos turistas, mas também às autoridades governamentais, que perceberam a necessidade de exigir seguro aos seus visitantes, tanto que mais de 40 países exigem que o viajante conte com uma apólice para entrar em suas fronteiras”.

Apesar da empresa ter sentido uma redução de 90% nas vendas em abril, houve um aumento de 27% no número de assistências prestadas dentro do Brasil. Para o executivo, com os novos hábitos de viagem, virão também novas oportunidades das seguradoras se conectarem com essa grande parcela de novos viajantes, que não só desejam um seguro, mas buscam uma assistência descomplicada e com soluções tecnológicas. “Hoje ainda estamos voltando toda nossa energia para oferecer ao nosso cliente, dentro deste cenário, um produto completo e que atenda toda suas necessidades”.

Nicole Fraga
Revista Apólice

Deixe uma resposta