A SulAmérica divulgou seus resultados relativos ao segundo trimestre e primeiro semestre de 2020. A Companhia mantém sua posição de destaque como a terceira maior do setor de saúde suplementar no Brasil em termos de receita: são aproximadamente 4 milhões de beneficiários em Saúde e Odonto, além dos mais de 3 milhões de clientes em Vida, Previdência e Gestão de Ativos.

A pandemia da covid-19 e o isolamento social impactaram diretamente os resultados da empresa, como tem sido a marca no mercado de seguros, provocando redução pontual na sinistralidade do trimestre em 11,7 p.p. em relação ao mesmo período de 2019. O índice de sinistralidade do segundo trimestre desse ano ficou em 69,1% e o semestre fechou em 75,4%, já excluindo o segmento de Auto e Massificados, cujos números foram reportados separadamente em função da venda das operações, concluída em julho/20. As receitas fecharam o trimestre em R$ 4,8 bilhões (+5,0%) no 2T20 e R$ 9,7 bilhões (+7,2%) no primeiro semestre deste ano. Em relação ao lucro líquido, o total do 2º trimestre para os segmentos que continuam em operação na companhia foi de R$ 398,7 milhões (+83,4%) e R$ 468,6 milhões (+16,3%) no 1º semestre de 2020.

Considerando o segmento de Auto e Massificados, cujos resultados ainda foram reconhecidos até junho/20, registra-se lucro líquido total consolidado de R$ 498,3 milhões (+91,0%) no 2º trimestre e R$ 578,1 milhões (+19,4%) no 1º semestre de 2020. Com a conclusão da venda destas operações, a organização estrutura-se com um novo posicionamento estratégico com foco em riscos pessoais, promovendo saúde integral por meio da oferta de proteção para todas as fases da vida das pessoas. “A conclusão da transação traz recursos para impulsionar o crescimento e desenvolvimento da companhia, além de retorno para nossos acionistas”, explica Gabriel Portella, presidente da seguradora.

Após quase cinco meses do início da pandemia e ainda com seu fim incerto, ainda não é possível mensurar todos os seus efeitos futuros, seja em termos de desaceleração econômica e comportamento da sinistralidade nos próximos trimestres, seja em mudanças estruturais pelas quais a sociedade potencialmente passará nos seus modos de viver e agir. “Passado esse período, a certeza que temos é de que estamos no caminho certo, que investimentos e projetos que começamos a desenvolver há alguns anos têm se provado totalmente acertados e se mostraram essenciais nesses últimos meses, trazendo importantes resultados para nossa capacidade de atender os clientes”, comenta Portella.

“Respondemos de forma rápida à situação imposta pela pandemia do novo coronavírus: protegemos nossos colaboradores, estivemos mais próximos ainda de nossos prestadores de saúde e parceiros de negócios, porque estávamos preparados para tal, sempre com foco na sustentabilidade e continuidade da nossa operação, buscando manter nossa estratégia de crescer com rentabilidade, disciplina na gestão de riscos e alocação de capital, ao mesmo tempo em que procuramos gerar valor positivo para a sociedade e os mercados em que atuamos. Seguimos confiantes nas perspectivas de longo prazo para a empresa e na força e sustentabilidade do nosso modelo de negócios”, diz o executivo.

Saúde e Odonto: apoio a clientes e parceiros durante a pandemia

Um dos efeitos colaterais do isolamento social foi sentido na sinistralidade dos segmentos de Saúde e Odonto, com meses bastante atípicos no período com uma redução acentuada nas frequências de procedimentos eletivos e não urgentes (consultas, exames e cirurgias), visitas ao pronto-socorro e internações de urgência, o que, no curto prazo, mais do que compensou os custos adicionais que tivemos relacionados ao diagnóstico e tratamento de beneficiários com covid-19.

A companhia aprovou extraordinariamente neste período adiantamentos financeiros para sua rede de médicos, hospitais e dentistas, que somaram mais de R$ 260 milhões dos quais R$ 150 milhões já desembolsados dentro do 2º trimestre.

“Cabe frisar que o ano de 2020 será incomum em termos do comportamento da frequência de procedimentos e sazonalidade em função da pandemia, de modo que os resultados de curto prazo não devem ser extrapolados em cenários futuros e temos a expectativa de que boa parte dos procedimentos represados seja retomada ao longo do tempo. A redução na sinistralidade no curto prazo da organização ocorre de forma simultânea à redução nas receitas de nossa rede de prestadores e temos sido sensíveis a essa situação, estando próximos aos nossos parceiros”, ressalta Portella.

Adicionalmente, a plataforma de telemedicina também proporcionou à uma parte relevante de médicos e terapeutas credenciados a manutenção de suas clínicas durante a pandemia. Foi intensificado o uso da tecnologia durante este período, o que possibilitou o lançamento de uma série de produtos, serviços e funcionalidades importantes, além da expansão de outras já existentes, que permitiram ampliar o alcance e atendimento aos beneficiários por meio de iniciativas digitais.

As ferramentas que já existiam e estavam disponíveis aos segurados de Saúde e Odonto foram importantes para orientar e garantir o cuidado adequado, com uma adoção acelerada da telemedicina no período, muito bem recebida pelos usuários, permitindo não só a assistência em relação à covid-19 como também consultas de emergência e a continuidade de tratamentos por meio de teleconsultas eletivas em diversas especialidades. Só no mês de junho, foram aproximadamente 70 mil atendimentos digitais, considerando médicos plantonistas, especialistas, psicólogos e orientações telefônicas. “O cuidado está na essência do nosso modelo de gestão de saúde e o uso de tecnologias e funcionalidades que tem sido objeto de investimentos e desenvolvimentos relevantes da companhia nos últimos anos se mostrou uma ferramenta essencial para a melhor experiência de nossos beneficiários nesse momento adverso”, diz Portella.

No 2T20, registrou-se um aumento do número de beneficiários em planos coletivos de 8,1% em relação a junho/19, demonstrando a resiliência do portfólio da seguradora mesmo em o cenário adverso da pandemia e as consequentes incertezas econômicas.

Vida, Previdência e Investimentos

O segmento de seguro de Vida também registrou os impactos da pandemia. Com as medidas de isolamento social e a retração no segmento de turismo, as receitas de seguro viagem apresentaram redução. As receitas operacionais do segmento somaram R$ 121,1 milhões no 2T20 e R$ 237,9 milhões no acumulado do ano, apresentando reduções de 7,5% e 4,7%, respectivamente. Neste segmento, a sinistralidade aumentou 7 p.p. no trimestre em relação mesmo período do ano anterior, em virtude do impacto da queda nas receitas assim como em virtude das coberturas para os casos de coronavírus.

No segmento de proteção financeira, a SulAmérica Investimentos, gestora de ativos e 3ª maior gestora independente do Brasil, encerrou o trimestre com R$ 45 bilhões em ativos sob gestão, mantendo pelo 11º ano consecutivo a nota máxima (AMP-1) de avaliação de gestores de fundos de investimentos pela Standard & Poor’s.

Em previdência, foi expandida a margem bruta e alcançados mais de R$ 8 bilhões em reservas, aumento de 7,6% em comparação com o mesmo período do ano anterior. A evolução positiva acompanhou, principalmente, o maior volume de contribuições, além do saldo positivo de portabilidade líquida durante o ano de 2020, principalmente no produto VGBL.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta