Segundo números do Banco Central, entre março e maio deste ano apenas R$ 43,6 bilhões de um total de 554,3 bilhões em crédito foram repassados às micro e pequenas empresas para ajudar os negócios a pagarem as contas durante a crise causada pelo novo coronavírus.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), as dificuldades impostas pela pandemia impactaram mais de 522 mil empresas brasileiras, que precisaram fechar as portas nos últimos meses. O cenário nebuloso deixa muitos empresários sem saída na hora de fazer o fluxo de caixa girar.

Por isso, buscar saídas rápidas e práticas pode ser vital para a preservação do negócio. Além dos financiamentos tradicionais do sistema bancário, que estão cada vez mais restritivos, há oportunidades em frentes ainda pouco exploradas. Confira a seguir:

Seguro garantia de depósito recursal pode ajudar caixa das companhias

Mais de 50 mil processos trabalhistas vinculados a demissões por conta do coronavírus foram registrados nos últimos quatro meses. Além das despesas tradicionais, as empresas estão precisando dispor de um valor para depósitos recursais enquanto os processos tramitam na Justiça.

Também entendendo o cenário complicado, em março deste ano o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) liberou a substituição dos depósitos recursais em dinheiro por seguro garantia para que as empresas possam reforçar o caixa.

Empresários podem usar esse recurso do seguro garantia de depósito recursal e preservar o caixa da companhia em casos de processos trabalhistas. “Na prática, uma ação de R$ 10 mil que pode levar anos para ser julgada, pode ser paga com uma apólice de seguro que custa R$ 300 ou R$ 400 ao ano. A empresa deixa de usar caixa para esse fim e pode direcionar os recursos para o capital de giro”, diz o diretor da Baroli Corretora de Seguros, Emerson Barbosa.

Recuperação imediata de recursos para processos trabalhistas

Uma outra opção que pode ser utilizada pelos empresários é a possibilidade de recuperar créditos por meio do seguro garantia de depósito recursal. Funciona assim: companhias que estão com ações trabalhistas em andamento e já depositaram quantias ao longo dos anos podem reaver esses valores ao contratar o seguro garantia. Desta forma é feita uma substituição dos valores pela apólice.

A estimativa do CNJ é que R$ 65 bilhões em recursos já depositados por empresas brasileiras que ainda aguardam os trâmites de processos trabalhistas possam ser recuperados com o uso do seguro garantia de depósito recursal.

“Essa modalidade de seguro proporciona a troca rápida da apólice pela quantia em dinheiro que a empresa já depositou em juízo. Enquanto espera o desenrolar do processo, a organização tem acesso ao valor e pode utilizar para fluxo de caixa”, explica Barbosa.

“Uma grande rede varejista de produtos esportivos já conseguiu captar cerca de R$ 20 milhões fazendo a troca dos valores por apólices, por exemplo. A corretora ajudou no processo completo e a recuperação de créditos por meio do seguro garantia de depósito recursal pode ser feita por empresas de qualquer porte”, afirma Barbosa.

O executivo diz que muitas vezes há valores que a companhia nem recorda que depositou, tendo em vista que os processos trabalhistas costumam levar muitos anos.

É importante frisar que a ideia da reapropriação de recursos mantém a segurança jurídica necessária para os processos, uma vez que a seguradora fica responsável por arcar com a indenização, caso a empresa não venha a efetuar o pagamento em caso de ganho de causa contra o cliente.

Gerenciamento de oportunidades pode trazer caixa extra

Outras opções para ajudar as empresas a manterem o caixa positivo é a análise de frentes importantes que podem ser garantidas em novos negócios ou até mesmo em substituição por uma das modalidades do seguro garantia, que contemplam áreas como, tributária, licitações, performance ou em adiantamentos de pagamento em novos contratos fechados, por exemplo.

“É possível adotar uma série de soluções dentro do produto de garantia em várias frentes da empresa. Assegurar que as operações e o fluxo de caixa das empresas não sejam afetadas é algo tão importante ainda mais em momentos como este”, diz Barbosa.

O diretor ainda destaca a importância de contar com ajuda de especialistas para compreender em quais frentes o seguro garantia pode ajudar as empresas.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta