Com a crise causada pela pandemia do coronavírus, o mercado de seguros, assim como todo o restante, teve que se adaptar para esta nova realidade. Na Euler Hermes essa adaptação também trouxe novas oportunidades.

De acordo com o CEO da companhia, Rodrigo Jimenez, foi aberta a possibilidade de operar 100% de forma remota, sem interrupção das atividades e principalmente tendo um foco maior na digitalização, inovação e eficiência. “A nossa prioridade foi no atendimento aos nossos clientes e parceiros. A crise nos expôs a um cenário sensível, onde as restrições em relação a setores e países se intensifica, portanto, antecipamos esse risco para nossos segurados com uma metodologia clara, que sempre foi e é nosso core business”, afirma o executivo.

Para o segundo semestre e para 2021, Jimenez antecipa algumas prioridades da empresa, que já avança no processo de inovação no mercado. “Antes mesmo do início da pandemia, o mindset da seguradora estava bastante voltado para digitalização e inovação, e esse cenário reforçou ainda mais que estamos na direção correta”, diz.

Prova disso, é o lançamento recente do Trade Score no Brasil, uma plataforma de score de crédito B2B com metodologia exclusiva da Euler Hermes, onde as empresas podem consultar a saúde financeira de outras com quem estão negociando. A plataforma já funciona de forma plena na França e na Itália, e Jimenez acredita que o seguro de crédito irá ganhar mais força no cenário pós-pandemia.

Leia mais: Cresce a procura por auxílio de crédito durante a pandemia

“É natural que as pessoas associem o seguro a algo que você precisa quando o problema já aconteceu, mas o que estamos trabalhando na nossa comunicação e processo educacional do mercado é que a ferramenta de seguro de crédito é relevante não apenas no momento de crise, mas também para apoiar a empresa na retomada da economia. Desejamos que a expansão dos negócios seja sustentável e guiada por um parceiro, que monitora riscos muitas vezes ocultos e traz a confiança necessária para tomada de decisão”, ressalta o CEO da companhia.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta