Pedro Loyola

EXCLUSIVO – A matéria “Governo quer ampliar consumidores de seguro no campo” cita como pertencentes ao seguro rural as carteiras de seguro agrícola, máquinas e equipamentos, vida do produtor rural, florestas, pecuário e aquícola. Faltou citar o penhor e o CPR. Entretanto, nem todos os seguros que fazem parte da categoria seguro rural são subvencionados pelo Governo. Nesta categoria estão: agrícola (grãos, frutas e olerícolas), pecuário, de florestas e aquícola. “O seguro patrimonial, de bens e máquinas, penhor, CPR e seguro de vida do produtor rural não se aplica ao subsídio”, explica Loyola.

SAIBA MAIS: Leia aqui especial sobre Seguro Rural

Outra questão é a agricultura familiar, o produtor rural contrata o Proagro (Programa de Garantia da Atividade Agropecuária), cuja taxa é de 3,8%. “O Projeto Piloto, que visa incentivar a contratação de seguro rural no Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familias), traz uma subvenção de 55% para milho e soja verão, e 60% para frutas (maçã, uva e banana) para que o prêmio do seguro rural fique competitivo com a taxa que é cobrada no Proagro”, esclarece Loyola.

Segundo Loyola, está sendo colocado no programa um recurso superior aos anos anteriores, conforme a capacidade do mercado atender com qualidade os serviços de seguro rural, principalmente os canais de distribuição e a rede de técnicos encarregados de verificação de perdas. “O recurso é suficiente para atender praticamente toda a demanda atual, que é dinâmica e tende a crescer nos próximos anos. Do lado da oferta, as seguradoras não têm capacidade de dar um salto maior e precisam aumentar a rede de peritos. Em 2021, o Governo deve alocar R$ 1,3 bi, o que será um grande desafio para as seguradoras.”.

Loyola enfatiza que o Governo Federal sempre conversa com o mercado e as entidades representativas de produtores e cooperativas para que o programa cresça com sustentabilidade e com um grau maior de previsibilidade.
Nesse desafio de disseminar a cultura do seguro rural, há também uma confusão de conceitos, porque algumas pessoas costumam contratar o Proagro e chamá-lo de seguro, o que ele não é. Os seguros privados são regulados pela Susep e o Proagro é uma política pública vinculada ao crédito rural. E essa forma de o produtor chamar o Proagro de seguro, se refletiu em algumas passagens da reportagem, quando os personagens entrevistados estão comentando sobre o Pronaf, que é um crédito rural que tem a obrigatoriedade de contratação do Proagro.

Kelly Lubiato
Revista Apólice

Deixe uma resposta