Na era da transformação digital, cada vez mais as seguradoras buscam inovar e investir em tecnologias para modernizar o setor. Big Data, Telemetria, Robótica e Inteligência Artificial (IA) estão cada vez mais presentes na rotina dessas empresas e seus segurados. Entretanto, algumas limitações técnicas ainda impedem o uso dessas ferramentas, que devem ganhar mais força com a implantação do sistema 5G.

O 5G é uma arquitetura de rede construída no padrão de rede sem fio 802.11ac IEEE, que tem como objetivo proporcionar aumento da velocidade de comunicação de dados em até três vezes, quando comparado ao seu antecessor, o 4G. Além de melhorar a conexão de smartphones, tablets e computadores, o novo sistema irá mudar o modo como a sociedade conduz sua rotina.

A rede nova aumenta a frequência de transmissão de internet, o que possibilita conectar uma máquina a outra. Sistemas de iluminação pública e residencial, smartwatches, eletrodomésticos, sensores de presença, centrais de segurança e caixas de supermercados são alguns dos exemplos. Os dispositivos poderão conectar-se e conversar entre si usando o 5G.

Com a nova geração de rede, a Internet das Coisas (IoT) irá avançar muito. Principalmente porque com uma ampla faixa de frequência e baixa latência, será mais fácil lidar com milhares de dispositivos ao mesmo tempo. Portanto, é fundamental entender a importância do 5G para o ecossistema de seguros.

O Brasil já começou os preparativos para a implantação da rede de telefonia móvel 5G, que seguem a todo vapor. No início de fevereiro, foi publicada a portaria do leilão para a rede que prevê a criação dos blocos com diferentes faixas de GHz e MHz. São eles que irão fornecer a velocidade da rede. Em paralelo aos esforços do governo, as operadoras de telefonia já começaram a atualizar a rede de comunicação entre as centrais e as antenas.

Para o mercado segurador, o 5G é uma oportunidade de mitigar riscos e entregar soluções mais completas e práticas, que atendam as necessidades dos segurados. Imagine que um forno pode ser programado para avisar ao cliente de que as peças cruciais estão superaquecidas e existe uma chance de incêndio. A seguradora pode avisar ao cliente em tempo, para que ele possa agir e providenciar o conserto, antes que o sinistro ocorra.

Este é só um exemplo de como o 5G é importante para o setor. A partir da nova rede, as companhias poderão mitigar riscos, reduzir os custos com prêmios e melhorar o relacionamento com o consumidor. Além disso, os processos organizacionais serão otimizados, isso porque a nova tecnologia deve gerar mais dados e relatórios em tempo real após um acidente, permitindo às seguradoras investigar e resolver sinistros com agilidade.

Veja mais sobre o assunto no site da GR1D Insurance.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta