A União dos Corretores de Seguros (UCS) realizou seu 3º Trocando Ideias Online no dia 23 de junho com o tema “Produto Saúde: dicas e oportunidades para que o corretor possa vender mais”. O evento digital teve início às 19 horas e encerramento às 20h30.

As apresentações foram realizadas pelos executivos Marcelo Zorzo, diretor de Saúde da Porto Seguro; Edglei Monteiro, diretor Comercial da Sompo Seguros; e Fábio Almeida, diretor de vendas e pós-vendas da Amil.

“O produto saúde sempre foi aspiracional pela sociedade e tem havido grande aumento na contratação neste momento de pandemia”, afirmou Ezaqueu Bueno, presidente da entidade. “Temos uma grande oportunidade e iremos discutir neste evento maneiras práticas de atender à demanda pelo produto”.

Almeida explicou que a Amil é hoje parte do UHG (United Health Group). No Brasil, possui 29 hospitais, o que possibilita atuar no ramo de seguros ofertando produtos como outras operadoras, incluindo rede aberta, desde linha premium até produtos de baixo custo, com redes diferentes, como também produtos verticalizados (rede própria), que podem ser mais sustentáveis e todos atendem empresas a partir de duas vidas.

“Pelo fato de ter esses diferentes níveis de planos, conseguimos oferecer ao cliente por meio dos corretores parceiros uma gama de produtos que consegue atender desde o funcionário do ‘chão de fábrica’ até o presidente, e todo tipo de empresa”, disse. O diretor também abordou o produto Amil Dental, também de rede nacional, que cobre a partir de duas vidas e variados custos e atendimentos, podendo incluir até mesmo clareamento a laser. “Também uma solução abrangente para todos os clientes e companhias”.

Monteiro trouxe dados de que a Sompo hoje está focada no produto saúde, em especial no PME. “O mercado de PME tem buscado bastante as operadoras, principalmente neste momento em que as empresas estão buscando olhar seus benefícios para tentar reduzir custo. Neste universo de pequenas e médias companhias há muitas opções e oportunidades para o corretor explorar”.

Segundo ele, as PME têm migrado bastante de uma operadora para outra e a Sompo tem uma ferramenta que garante um trabalho personalizado para cada cliente. “Conseguimos mapear todos os seguros de uma empresa, saber quem ainda não tem saúde, também analisar as pessoas físicas para ver quem possui CNPJ, número de funcionários, se já contratou plano de saúde. Um trabalho diferenciado para auxiliar o corretor a pôr a mão na massa”, destacou. O diretor explicou que a Sompo trabalha com empresas a partir de três vidas e tem o hospital Albert Einstein em sua rede credenciada, “o que se torna um bom cartão de visitas”.

Ele também orientou os corretores a oferecem planos com coparticipação, o que pode ajudar bastante a encaixar a venda nas empresas menores. “Uma coparticipação de 20 a 30% gera uma economia de uma fatura e meia para a empresa no total de um ano”.

Zorzo frisou que hoje o maior obstáculo para as empresas contratarem saúde é o custo, que chega a ser a segunda maior despesas administrativa depois da folha de pagamento. “Por isso é muito importante a gestão médica, o acompanhamento populacional, tentar trabalhar seu grupo tanto de funcionários como de dependentes para não aumentar ainda mais este custo com utilizações equivocadas”, disse.

Como diferenciais, ele apresentou o produto Saúde Integrada, que tem tido boa aceitação e é a junção do Saúde Ocupacional com o Saúde Assistencial. “Com esse produto conseguimos fazer um mapeamento da população na medida em que os colaboradores frequentam o médico, o ambulatório e com essas informações podemos entender em que estágio eles estão, se estão contraindo problema, potencializando, ou ficando doentes. Mesmo que não tenhamos o ambulatório na empresa, fornecendo alguns dados é possível gerar uma administração dessa população” disse o executivo. Outra questão importante é a promoção à saúde. “Temos vários programas de promoção à saúde, de controle de obesidade, por exemplo. Precisamos cada vez mais trabalhar na jornada que antecede a doença, ou seja, investir em medicina preventiva”.

Leia mais: UCS esclarece digitalização e guarda de documentos em corretoras

Mesmo online, no fim do evento foi sorteado entre os participantes um boneco “Abelhão”, mascote da UCS, que será entregue à associada Maria Luiza Oliveira. A entidade usa as abelhas, que trabalham em cooperação, como analogia para lembrar que corretores de seguros podem evoluir juntos.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta