EXCLUSIVO – É fato que o mercado de seguros precisa ser mais simples na contratação de produtos para atrair novos consumidores. Os canais de atendimento devem ser aqueles aos quais qualquer pessoa tem acesso, independente de onde ela estiver. A pandemia fez crescer a percepção da necessidade de proteção, principalmente para as pessoas que não contam com respaldo da carteira assinada. Este é o perfil dos motoristas de aplicativos, que hoje já somam mais de 1,1 milhão de pessoas no Brasil. Eles agora tem a oportunidade de ter contato com um seguro de vida com várias coberturas importantes, como a perda de renda temporária.

O produto de seguro de vida exclusivo para motorista de aplicativo foi lançado pela MAG Seguros, utilizando a plataforma de Inteligência Artificial da O2OBOTS. A partir de um QR Code enviado por um corretor de seguros, os motoristas interessados podem acionar o sistema via WhatsApp ou Messenger.

Leonardo Rochadel

Leonardo Rochadel, CEO da startup, explica que após responder às primeiras duas perguntas, o motorista recebe nove propostas, com valores e coberturas diferentes. “A partir daí, ele vai responder a perguntas da IA sobre seus dados, DPS etc. As suas respostas vão sendo validadas através do acesso a vários bancos de dados externos”. Caso seja encontrada alguma anomalia nos dados, o segurado é encaminhado para o corretor de seguros prestar atendimento presencial.

O produto também oferece a possibilidade de fazer um “indique e ganhe”. Os motoristas ganham 10% por indicação de outros profissionais que fechem contrato.

Rochadel destaca que já conta com 80 grupos de corretores registrados na plataforma da empresa, oferecendo este produto. A O2OBOTS já possui 12 tipos de seguros diferentes, com sete seguradoras em operação.

“Nosso objetivo é diminuir a fricção na jornada de cotação e contratação do seguro, melhorando a experiência de entrega ao cliente, ajudando também o processo de subscrição, evitando o mau risco”, esclarece Rochadel.

Kelly Lubiato
Revista Apólice

1 COMENTÁRIO

  1. Li a matéria e fiquei com uma dúvida, a parte de comercialização é sempre mais dinâmica, a minha pergunta é : No caso de profissional de aplicativo, qual o parâmetro para indenização por perda de renda temporária?

Deixe uma resposta